População revoltada com mudanças no IC5

Habitantes receiam o abandono daquela estrada que liga Murça a Miranda do Douro.
Por Patrícia Moura Pinto|05.07.18
A promessa foi de que iam abrir estradas para a população sair do isolamento e não é isso que está a acontecer" afirma António Magalhães, residente em Alijó, que não concorda com a medida revelada pelo Governo de passar o IC5 para a Infraestruturas de Portugal.
População revoltada com mudanças no IC5

Atualmente, é a empresa Ascendi a responsável pela manutenção e segurança dos 131 quilómetros da via que faz a ligação entre Murça e Miranda do Douro, numa área que abrange também os concelhos de Alijó, Carrazeda de Ansiães, Vila Flor, Alfândega da Fé, Mogadouro e Miranda do Douro.

"Eu acho que é uma asneira tirarem a Ascendi de cá. Além do ótimo serviço que presta, a empresa instalou em Lodões um centro de operações que dá emprego a muita gente da região", explica Gaspar Morais, habitante em Vila Flor. Os autarcas dos concelhos por onde passa o IC5 já reuniram e contestam o facto de o Governo não os ter consultado para avaliar esta possível alteração.

"Esta estrada tem um grande impacto regional, que veio rasgar todo este Trás-os-Montes e Alto Douro, que veio trazer justiça a estes dez concelhos e qualquer alteração terá de ser bem pensada", refere Fernando Barros, autarca de Vila Flor.

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!