Sub-categorias

Notícia

ADENOVÍRUS NO PORTO: CRIANÇAS RECUPERAM

As três crianças internadas em zona isolada nos Cuidados Intensivos Pediátricos do Hospital de S.João com pneumonia adenovírica estão a recuperar bem, e a direcção clínica daquele serviço desdramatiza o alarmismo evidenciado em redor da situação, confirmando que o estado de saúde das crianças está a evoluir favoravelmente.
21.04.03
  • partilhe
  • 0
  • +
ADENOVÍRUS NO PORTO: CRIANÇAS RECUPERAM
A mãe da pequena Tatiana está agora mais tranquila Foto Baía Reis
O CM esteve no Hospital de S.João, onde falou com Ana Maria Lima, mãe da Tatiana, bebé com nove meses, internada no Serviço de Pediatria daquela unidade hospitalar portuense desde a passada segunda-feira, após ter sido transferida do Hospital de Guimarães.
Enquanto se preparava para entrar na enfermaria onde se encontra a filha, Ana Maria Lima contou que a Tatiana esteve durante 24 horas no Hospital de Guimarães antes de ser transferida para o S.João, no Porto.
Com tudo o que se dizia acerca da doença, fiquei preocupada e entrei em pânico. Como sabia que já tinham morrido crianças com a dita doença, quando cheguei ao S.João pedi aos médicos que me informassem do estado da minha filha e me contassem a verdade. Os médicos acalmaram-me e disseram-me que tudo iria correr bem. E é o que está a acontecer. A minha filha está a recuperar e já come as papas e as sopas, contou Ana Maria Lima, natural de Guimarães.
Visivelmente satisfeita com a recuperação, Ana Maria Lima ainda não sabe quando regressará a casa com a filha, mas segundo as previsões esse regresso pode ocorrer em breve.
Ninguém imagina como passei os primeiros dias no hospital. Ao ouvir tanta coisa fiquei baralhada, e apesar dos médicos me aconselharem calma só depois que eu vi a minha menina a comer e a sorrir é que comecei a descansar. Foram noites mal dormidas, sempre atenta e junto da Tatiana. Para uma mãe, tudo que se faça pelos filhos nunca é demais. É que além da Tatiana, tenho mais dois filhos para criar, que também precisam da minha atenção.
Além da Tatiana, outras duas crianças, uma com três anos e outra com oito meses, encontram-se internadas no S.João provenientes do concelho de Guimarães, que não foram transferidos de qualquer unidade hospitalar mas por indicação de Centros de Saúde. Apesar de provenientes de Guimarães, as três crianças com pneumonia por adenovírus encontram-se já em situação de melhoria.
DIRECTOR DA PEDIATRIA DO S. JOÃO DESDRAMATIZA
O director do Serviço de Pediatria do Hospital de S.João, professor Almeida Santos, desdramatizou ao CM os casos das três crianças que ali estão internadas em zona isolada com pneumonia adenovírica. Segundo Almeida Santos, tem-se empolado a situação desnecessariamente, e mais nenhuma criança deu entrada no serviço. Mantemos as três que aqui estão, e posso garantir que o seu estado de saúde está a evoluir favoravelmente. Por isso, não há motivos de alarme. Almeida Santos explicou que este tipo de vírus é mais frequente nesta altura do ano, e que o factor higiene é fundamental para o evitar. Informou ainda que o surto de pneumonia adenovírica é mais susceptível em sociedades menos desenvolvidas, onde em casas exíguas vivem muitas pessoas e é transmitido pelas mãos, boca e nariz. Por isso, lavar as mãos constantemente é fundamental.
FALSO ALARME
O chefe de equipa da urgência pediátrica do S. João, Manuel Fontoura, desmentiu ao CM a informação avançada sábado ao nosso jornal pelo médico Jorge Amil, sobre o caso de um bebé de 11 meses, da região do Porto, que estaria no hospital com pneumonia adenovírica. É um caso que não se confirma, disse, explicando que o risco de falsos alarmes resulta da similitude dos sintomas ao nível dos problemas respiratórios.

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!

Mais notícias

Mais notícias de Portugal

pub