Alunos passam fome na Guarda

Dezenas de alunos de São Tomé e Príncipe que estudam no distrito da Guarda passam fome. Os problemas sociais dos cerca de 200 jovens que estudam no ensino profissional e superior na região foram denunciados pelo presidente da Associação de Estudantes dos PALOP na Guarda, numa carta enviada ao minis- tro são-tomense da Educação.

03.09.12
  • partilhe
  • 0
  • +
Alunos passam fome na Guarda
Adnilsa Amaral, Adedmy Quaresma reclamam bolsas em atraso Foto Nuno André Ferreira

Felisberto Costa, que garante ao CM já ter alertado as autoridades de São Tomé e Príncipe em Portugal, revela que estas situações de pobreza extrema "são consequência do corte das bolsas de estudos a alunos emigrantes".

"Este ano foi um inferno, assim vou embora", desabafa Ludimara Almeida, aluna da Escola Profissional de Gouveia. A jovem, de 22 anos, partilha o pensamento de muitos são-tomenses que vieram para Portugal ao abrigo de bolsas de estudo pagas pelo governo local. Mas o dinheiro "chega tarde e só dá para pagar as rendas e as contas em atraso".

Os casos de fome nesta comunidade estudantil são recorrentes. "Soube de colegas que foram buscar comida a caixotes do lixo", adianta. "Em vez de duas refeições, faz-se uma, mas tem de chegar para todos", conta Ildecino Amaral, de 28 anos. Alguns alunos têm comido com a ajuda da Cáritas da Guarda.

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!
1 Comentário
  • De António03.09.12
    É pena que para muitos destes meus amigos que chegam e se maravilham com as tecnologias se esqueçam que primeiro estão as necessidades básicas e só depois os caprichos e meros luxos.
    Responder
     
     2
    !