Sub-categorias

Notícia

Ameaças à companheira valem pena de três anos e meio

O Tribunal de Gaia condenou esta segunda-feira a três anos e quatro meses de prisão, um homem que há dois anos se barricou no tribunal e que anteriormente tinha ameaçado de morte a companheira.

07.06.10
  • partilhe
  • 0
  • +
Ameaças à companheira valem pena de três anos e meio
Carlos Marinho foi condenado por maus tratos à ex-companheira Foto João Freitas

A juíza deu como provado que o sujeito batia e ameaçava de morte a companheira, com recurso a arma de fogo. O sucedido ocorreu por duas vezes em 2006, uma delas acabou na sua detenção, depois de sequestrar a companheira  durante mais de cinco horas. Nessa ocasião apontou a arma à cabeça da companheira e só não disparou por estar na presença do filho.

 

"Não há dúvidas que a conduta do arguido preenche a prática do crime  de maus-tratos. Também não há dúvida que praticou o crime de sequestro,  tendo privado a ofendida da sua liberdade" argumentou a juíza, classificando os actos de muito graves.  

 

O arguido, Carlos Marinho, separado da companheira desde esse incidente, barricou-se e multiplicou ameaças no tribunal, pedindo a resolução do processo do poder paternal, cuja custódia estava entregue à mãe e ex-companheira.

 

Em finais de 2009 foi condenado pelas varas criminais do Porto, a  três anos e seis meses de prisão efectiva por crime de introdução em local  vedado ao público, crime de sequestro a uma juíza e contra-ordenação por porte de arma sem licença.  

 

O arguido viu a pena ser atenuada por sofrer de distúrbio de personalidade e por ter ingerido bebidas alcoólicas.

 

A condenação desta segunda-feira inclui ainda o crime por detenção ilegal de arma.

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!

Mais notícias

Mais notícias de Portugal

pub