Sub-categorias

Notícia

Sobrevivente acusa: “Arrastaram-nos para a morte”

Homem aponta o dedo à GNR por ter desviado carros para a EN236, onde morreram 47 pessoas.
Por Tânia Laranjo|20.06.17
"Não me consigo esquecer daquela mãe a arder com os dois filhos ao colo. Eu salvei a minha neta, mas quem perdeu os seus?", questiona Armindo Graça, revoltado.

Pobrais faz jus ao nome. Pobre, triste, desolada. Com cheiro a morte. O ar é pesado, a névoa de fumo corta a respiração. Pobrais perdeu 11 dos 30 moradores.

O "senhor Vítor", como todos o tratavam, só foi encontrado ontem à tarde, numa amálgama de cinzas, restos de ossos que confirmam o corpo após a passagem de mais um vizinho na casa que hoje são escombros.

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!

Mais notícias

Mais notícias de Portugal

pub