Sub-categorias

Notícia

Falta de planos contra fogo iliba EDP e Ascendi em Pedrógão

Parecer de especialista revela que câmaras não tinham planos a que a lei obrigava.
Por José Carlos Marques|07.12.17
  • partilhe
  • 1
  • +
O relatório da Comissão Técnica Independente sobre os incêndios que mataram 65 pessoas em Pedrógão Grande expôs a falta de limpeza das bermas estradas e das áreas florestais em volta das linhas elétricas como fatores potenciadores da gravidade da tragédia. 

Mas um parecer jurídico pedido pela Ascendi, concessionária da fatídica estrada 236-1, onde morreram a maior parte das vítimas, revela que os 10 metros de limpeza obrigatória à volta da estrada não se aplicavam à entidade responsável. Isto porque nos municípios de Castanheira de Pera e Pedrógão Grande os Planos Municipais de Defesa da Floresta Contra Incêndios, previstos na lei desde 2006, não estavam em vigor. No caso de Pedrógão Grande, o plano estaria mesmo caducado desde 2011.

O parecer foi elaborado pela jurista Fernanda Paula Oliveira, professora de Direito Administrativo da Universidade de Coimbra e especialista em legislação sobre ordenamento do território. Em declarações à TSF, Paula Oliveira lamenta o caso: "foi preciso acontecer uma desgraça destas para a lei mudar". Mas revela que, no seu entender, a Ascendi e a EDP dificilmente poderão ser responsabilizadas no caso dos fogos: "Se uma lei diz que há obrigação de limpar desde que um plano diga onde se deve limpar, naturalmente que, até que exista o plano, não existem obrigações de limpeza".

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!

Mais notícias

Mais notícias de Portugal

pub