Sub-categorias

Notícia

Burlão é condenado e paga 50€ a vítima

Valdemar Castro respondeu por mais de três dezenas de crimes de burla qualificada.
Por Ágata Rodrigues|26.11.16
Burlão é condenado e paga 50€ a vítima
Valdemar Castro foi ontem condenado em Gaia por apenas um crime de burla qualificada, mas na forma continuada Foto CMTV
Valdemar Castro, o conhecido ‘burlão das notas de 50’, foi esta sexta-feira condenado pelo Tribunal de Vila Nova de Gaia a oito anos de prisão efetiva e a pagar uma multa de 50 euros a um dos lesados. A companheira, também arguida no processo e acusada da coautoria de alguns dos crimes, foi absolvida. A advogada do arguido garante que vai recorrer da pena, que considera "pesada".

O tribunal deu como provado que o homem atuava sempre da mesma forma - pedia algo ao balcão dos estabelecimentos, perguntava se um funcionário podia trocar uma nota de 50 euros, que nunca entregava, e fugia depois com as notas mais pequenas. O arguido confessou alguns dos 37 crimes de burla qualificada de que era acusado. O tribunal condenou-o, no entanto, por apenas um crime, mas na forma continuada, já que o burlão traçara um plano por forma a conseguir dinheiro para adquirir droga. "O arguido só não confessou os restantes porque já não se recordava, são tantos", disse a juíza-presidente do coletivo. Referiu que o alarme social criado por estes casos em vários concelhos do Norte do País foi uma agravante. "A pena é pesada para este tipo de crimes. Não estamos a falar de um homicídio, ele não é violento", disse a advogada Ângela Loureiro, que vai recorrer.

Maria Celeste Pinho, a companheira de Valdemar, respondia por coautoria de duas dezenas de crimes de burla qualificada e foi absolvida por não ter sido provado que esta soubesse dos planos do arguido.


Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!

Mais notícias

Mais notícias de Portugal

pub