Clube da EDP paga 11 anos de salários a trabalhadora-fantasma

Secretária da associação e marido cometeram burla no total de 757 mil euros.
Por Ana Isabel Fonseca|14.02.18
Notícia exclusiva para assinantes. Para ler faça Login ou AssineSaiba mais aqui.
'Gracinda Castro' integrou, entre 2005 e 2016, a lista de trabalhadores do Clube do Pessoal da EDP, uma associação que visa estreitar a união entre as várias empresas daquele grupo. Todos os meses recebia um salário e tinha direito a subsídios de férias e Natal, mas ‘Gracinda Castro’ nunca existiu ...
Exclusivos CMEste artigo é exclusivo para Assinantes Correio da Manhã
Se já é Assinante, faça o seu loginouClique para ler TODOS OS EXCLUSIVOS CM de hoje.
Obtenha o seu código de acesso com uma simples chamada telefónica (0.60€ + IVA). Se já tem código, insira-o.
Assine agora o Correio da Manhã Digital
  • Assine Acesso integral ao Correio da Manhã ePaper (tal como é impresso em papel, veja exemplo)
  • AssineAcesso ilimitado a todo o site do Correio da Manhã.
  • AssineTodos os exclusivos, opinião e análise da edição em papel.
Saiba mais
Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!
Comentário mais votadoEscreva o seu comentário
  • De !14.02.18
    Dizem que uma cobra só morre quando de cabeça cortada
1 Comentário
  • De !14.02.18
    Dizem que uma cobra só morre quando de cabeça cortada
    Responder
     
     0
    !