Sub-categorias

Notícia

Deixado à solta assassina mulher

Juiz suspendeu pena a Adelino Águas por violência doméstica, em 2010. E o terror continuou em casa até segunda-feira: Josefina foi morta à catanada
18.07.13
Deixado à solta assassina mulher
Adelino Águas, que dormia com faca debaixo da almofada, tem três filhas com Josefina Foto Vítor Mota

Quando Adelino Águas começou finalmente a ser julgado no Tribunal de Loures, em 2010, por violência doméstica, Josefina Teixeira pensava que o seu pesadelo tinha chegado ao fim. Mas não. O maridou saiu em liberdade, com a pena de 18 meses suspensa – até que, na passada segunda-feira, a assassinou com golpes de catana na localidade do Catujal, em Loures.

Depois da pena suspensa aplicada pelos juízes, na sequência de queixas à polícia, que deram origem a uma acusação do Ministério Público, o agressor de 52 anos ficou em casa. Nunca foi detido nem sujeito a medidas de afastamento. E o cenário de violência manteve-se – Adelino Águas dormia com uma faca debaixo da almofada.

Da sentença fazia parte a obrigatoriedade de tratar o alcoolismo, o que não aconteceu. "A minha irmã continuou a ser agredida e sem esperança de vir a ser feliz. Mesmo assim, ainda o ajudava. Tinha pena dele. Na semana passada foi com ele ao hospital para tentar curá-lo do alcoolismo", recordou ao CM a irmã Felicidade, de lágrimas nos olhos.

Mas já em 2005 Josefina se queixava de maus-tratos, situação que levou o patrão a acompanhá-la à Associação de Apoio à Vítima. De nada valeu. A violência física e psicológica continuava em casa. Josefina Teixeira aguentava tudo pelos filhos, de 22, 28 e 30 anos. Contactados pelo CM, responsáveis da APAV recusaram comentar o caso.

"É terrível viver com a ideia de que não vou ver mais a minha irmã. Ela ajudava toda a gente. Os vizinhos adoravam-na. E não teve ajuda até ser morta. Quando sentia que estava em apuros ela falava logo comigo. Na segunda-feira não teve ninguém para se apoiar." Ontem ainda não se sabia quando ocorrerá o funeral, uma vez que o corpo ainda não tinha sido autopsiado.

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!
49 Comentários
  • De Ester freitas19.07.13
    Tanto juiz e tanto advogado e uma falta de justica gritante destas. Eu despedia-os a todos e co-responsabilizava os envolvidos pelo homicídio.
    Responder
     
     0
    !
  • De ines19.07.13
    a justiça em portugal nao presta mas pergunto eu...se o sr fosse preso quando saisse ia morar para onde?devem tar a gozar cmg a sra estava tao ou mais doente do que o marido mm que ele fosse preso ia mata la qd saisse
    Responder
     
     1
    !
  • De filipa 19.07.13
    eu conheço a familia e nao e bem assim ela nao o deixava porque tinha medo dele e tinha pena dele.os filhos sempre a apoiaam para ela se separar mas ele amiaçava de morte!ela ja estava separada dele ee e que foi malandro
    Responder
     
     2
    !
  • De Ana19.07.13
    É todo o sistema que falha - desde a polícia, até ás casas de acolhimento, os tribunais e as mulheres que, chateadas com o marido, vão fazer queixas sem razão. Pergunto-me - e os filhos ? Deixaram correr ? Já são adultos
    Responder
     
     2
    !
  • De Isa19.07.13
    Estes juízes deveriam vir pra rua,fazer parte da % do desemprego. Não se admite esta decisão...Só mesmo em Portugal é que existe isto... é por isso que morrem muitos inocentes. Este fulano na cadeia devia sofrer e morrer
    Responder
     
     1
    !

Mais notícias

Mais notícias de Portugal

pub