Sub-categorias

Notícia

Eduardo Silva admite que "nunca quis dominar o mundo da noite"

Principal arguido do processo foi ouvido em tribunal.
Por Ana Isabel Fonseca e Lusa|16.02.17
  • partilhe
  • 0
  • +

O sócio-gerente da SPDE, Eduardo Silva, afirmou esta quinta-feira em tribunal, durante o julgamento da "Operação Fénix", que a empresa "não tem alvará de proteção pessoal".

"No nosso efetivo, tínhamos muitos elementos com credenciação para proteção pessoal, mas a SPDE não estava habilitada para o efeito", referiu.

O arguido respondeu a questões relacionadas com a formação da empresa e a sua forma de atuação. Respondeu também já a algumas questões sobre os dois contratos celebrados com o FC Porto, sendo que só por um deles a empresa recebia 12.500 euros por mês.

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!
Comentário mais votadoEscreva o seu comentário
  • De ZédaAustralia16.02.17
    Acho que o povo estava mais interessado no julgamento da malandragen dos submarinos, do BPN, do BPI, do Banif, da CGD, autarcas corruptos enfim todos os vigaros que nos levaram a' austeridade!
2 Comentários
  • De MARIAFLOR16.02.17
    SÓ BANDIDOS, DEVIA ERA REBENTAR UMA BOMBA NO MEIO DESTA ESCUMALHA,ERA UMA LIMPEZA.
    Responder
     
     0
    !
  • De ZédaAustralia16.02.17
    Acho que o povo estava mais interessado no julgamento da malandragen dos submarinos, do BPN, do BPI, do Banif, da CGD, autarcas corruptos enfim todos os vigaros que nos levaram a' austeridade!
    Responder
     
     0
    !

Mais notícias

Mais notícias de Portugal

pub