Filha desfere pancadas fatais e queima corpo de professora do Montijo

Iuri Mata usou primeiro o martelo, mas recuou. Foi Diana quem avançou para golpes que ditaram morte de Amélia Fialho.
Por Magali Pinto|11.09.18
A morte de Amélia Fialho foi planeada ao pormenor pela filha e pelo genro, mas, na hora decisiva, quando se deu o crime brutal, na noite do último dia 1, no Montijo, a atuação de Diana Fialho, jovem de 23 anos, foi determinante.
Filha desfere pancadas fatais e queima corpo de professora do Montijo

A primeira pancada com o martelo na cabeça da professora foi dada por Iuri Mata, que logo a seguir recuou e não conseguiu continuar. Mas Diana não queria dar hipóteses de sobrevivência à mãe adotiva e, por isso, continuou ela: esta segunda-feira à tarde, foi realizada a autópsia ao corpo de Amélia, que revelou múltiplos golpes na cabeça da vítima.

Ao que o CM apurou, vão ser necessários exames complementares, o que está a atrasar a realização do funeral. Recorde-se que o corpo da professora de Físico-Química, na Escola Jorge Peixinho, foi encontrado completamente carbonizado em Pegões. E aqui Diana Fialho voltou a ter um papel decisivo no crime. Foi ela quem comprou o isqueiro e pegou fogo ao corpo da mãe.

Ainda assim, Iuri esteve sempre com ela na preparação e enquanto decorria o crime. Ambos estão agora em prisão preventiva - ela na cadeia de Tires e ele no Estabelecimento Prisional do Montijo.

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!