GNR mandou vítimas fugir da própria casa

Relatório arrasa atuação dos militares e do Ministério Público. Agressor ficou na habitação. Vítimas foram viver para casa-abrigo
Por Magali Pinto|15.05.18
Notícia exclusiva para assinantes. Para ler faça Login ou AssineSaiba mais aqui.
Ao fim de meses de sofrimento, no dia 4 de agosto de 2015 um casal, vítima de violência doméstica por parte do filho e enteado, dirigiu-se à GNR para fugir a mais um episódio de maus-tratos. O agressor, de 28 anos, ligou-lhes: "Não se esqueçam que vocês têm de vir dormir a casa e a gente logo fala. ...
Exclusivos CMEste artigo é exclusivo para Assinantes Correio da Manhã
Se já é Assinante, faça o seu loginouClique para ler TODOS OS EXCLUSIVOS CM de hoje.
Obtenha o seu código de acesso com uma simples chamada telefónica (0.60€ + IVA). Se já tem código, insira-o.
Assine agora o Correio da Manhã Digital
  • Assine Acesso integral ao Correio da Manhã ePaper (tal como é impresso em papel, veja exemplo)
  • AssineAcesso ilimitado a todo o site do Correio da Manhã.
  • AssineTodos os exclusivos, opinião e análise da edição em papel.
Saiba mais
Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!