Incendiário libertado por excesso de prisão

Carlos Fernandes foi condenado a nove anos de prisão por incêndio florestal agravado.
Por Ana Palma|12.09.18
Carlos Fernandes, o homem que foi condenado, no passado dia 28 de fevereiro, a nove anos de prisão por ter ateado o incêndio que deflagrou no dia 3 de setembro de 2016, na serra de Monchique e que destruiu milhares de hectares de floresta e mato, foi libertado na semana passada por excesso de prisão preventiva.

Segundo o CM conseguiu apurar, o incendiário, que se encontrava preso no Estabelecimento Prisional de Pinheiro da Cruz, foi libertado na quarta-feira passada, dia 5 de setembro. "Uma vez que a decisão ainda não transitou em julgado e a lei prevê um máximo de prisão preventiva de dois anos, teve de ser libertado", explicou ao CM fonte judicial.

A defesa de Carlos Fernandes recorreu da sentença para o Tribunal da Relação de Évora, por considerar a pena excessiva, aguardando-se ainda a decisão dos magistrados.

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!