Inquérito a GNR feridos em incêndio em Mourão

MAI quer saber como militares ficaram feridos no fogo.
Por Miguel Curado|29.08.18
  • partilhe
  • 0
  • +
O ministro da Administração Interna (MAI), Eduardo Cabrita, ordenou a abertura de um inquérito às circunstâncias em que cinco militares do Grupo de Intervenção, Proteção e Socorro (GIPS) da GNR ficaram feridos, na segunda-feira à tarde, quando ajudavam a combater um incêndio em Mourão, no distrito de Évora.

Os feridos, com idades entre 30 e 39 anos, estão colocados na brigada helitransportada do GIPS, sediada no concelho de Moura, em Beja. Os cinco foram desembarcados, com colegas, no local do fogo, e acabaram, por razões ainda por apurar, rodeados e atingidos pelas labaredas. O ministro Eduardo Cabrita pediu, por isso, à Inspeção-Geral da Administração Interna que avocasse o inquérito, exigindo respostas com a maior brevidade possível.

Dois dos feridos já voltaram ao trabalho, a pedido dos próprios. Os outros três estão internados: um, de 32 anos, no Hospital de São José, em Lisboa; um, de 37, no Hospital de São João, no Porto; e o outro, de 39, o mais grave, está nos Hospitais de Coimbra. Tem queimaduras de 2º e 3º grau em 60% do corpo. Está ventilado e entubado.

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!