Sub-categorias

Notícia

Juízes do Supremo desvalorizam sexo aos 50 anos

Cortam indemnização por considerarem que na meia-idade o sexo já não é tão importante.
Por Ana Isabel Fonseca|17.10.14
Juízes do Supremo desvalorizam sexo aos 50 anos
Erro médico ocorreu na Maternidade Alfredo da Costa em 1995 Foto Miguel A. Lopes/Lusa

Aos 50 anos, a atividade sexual não tem a importância que assume em idades mais jovens." A afirmação consta de um acórdão do Supremo Tribunal Administrativo e serviu de justificação para reduzir a indemnização atribuída a uma mulher, que devido a um erro médico nunca mais conseguiu manter relações sexuais. O caso ocorreu em 1995, na Maternidade Alfredo da Costa, em Lisboa, onde estava a ser acompanhada.

A paciente, que na altura dos factos tinha 50 anos, vai agora receber 111 mil euros de indemnização por parte do hospital. A primeira instância tinha fixado um valor de 175 mil euros.

O tribunal reduziu o valor atribuído à vítima pela perda de vencimentos futuros e determinou ainda que o dinheiro a receber pelos danos morais sofridos deveria também ser menor.

Os juízes consideraram que o erro médico apenas agravou uma situação que de si já era dolorosa. Acrescentaram ainda que a vítima já tinha dois filhos e que, "à medida que a idade avança, a importância do sexo vai diminuindo".

A mulher padecia desde 1993 de um problema ginecológico, que lhe causava graves infeções na zona genital. A solução dada dois anos depois, pelos médicos da Maternidade Alfredo da Costa, foi que a doente retirasse duas glândulas situadas na zona vaginal. Durante a cirurgia terá sido cometido um erro e os médicos terão cortado um nervo que não deviam.

A mulher passou a sofrer de incontinência urinária, sente fortes dores diariamente, tem muita dificuldade em sentar-se e andar e nunca mais conseguiu ter relações sexuais com o marido. Deixou de trabalhar e entrou numa depressão profunda, tendo chegado a tentar colocar termo à vida. A doente diz mesmo que agora se sente "diminuída como mulher".

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!
Comentário mais votadoEscreva o seu comentário
  • De JustiçaRápida17.10.14
    Eu ia comentar mais longamente mas até fico estarrecido com o que aqui li.<br/><br/>Então estes sr.s já não têm sexo a partir dos 50 anos?<br/><br/>Passam ao celibato? 50 anos! Isto é dos absurdos mais absurdos que eu alguma vez li.<br/><br/>Eu tenho sexo com a minha mulher e tenho algumas décadas e é MUITO importante para mim e para ela.<br/><br/>Até no sexo a Justiça está de rastos...
17 Comentários
  • De MTeixeira18.10.14
    O que esperar dessa classe, sabendo que há "copianço" na escola de magistrados, de que invocam seu "estatuto" para favorecer parentes homicídas ou que determinam que os trabalhadores do privado devem sofrer o mesmo ou pior que os trabalhadores da FP, por serem "iguais"!!!
    Responder
     
     1
    !
  • De Marina17.10.14
    É o suficiente para colocar em risco o casamento, visto que os homens vão procurar fora o que não têm em casa. Além disso ficou com incontinência urinária, dores dificuldae em andar, depressão. Os juizes acham pouco?
    Responder
     
     -1
    !
  • De ZeAlentejanoUSA17.10.14
    Ainda teve sorte em os Dignissimos nao lhe terem dito,que se fosse mais velha,o custo a pagar por uma negligencia destas,seria equivalente a uma Bica e um Pastel de nata!
    Responder
     
     1
    !
  • De Albicastro17.10.14
    Já se pode mandar castrar um juiz com mais de 50 anos.
    Responder
     
     1
    !
  • De  Anónimo 17.10.14
    Hoje o Estado, justifica-se de modo a que tenha de dar o menos possível às pessoas, com desculpas esfarrapadas.
    Responder
     
     8
    !

Mais notícias

Mais notícias de Portugal

pub