Sub-categorias

Notícia

Médico detido por violar grávida

Um psiquiatra foi detido pela Polícia Judiciária do Porto por suspeita de ter violado uma doente, grávida de 34 semanas, durante uma consulta na sua clínica, situada na Foz, zona nobre da cidade do Porto.
20.11.09
  • partilhe
  • 0
  • +
Médico detido por violar grávida
Clínica do médico João Vasconcelos Vilas Boas situa-se na rua de Gondarém, na Foz, Porto Foto Rui Manuel Fonseca

João Vasconcelos Vilas Boas foi ontem à tarde ouvido pelo procurador do Ministério Público, no Tribunal de Instrução Criminal do Porto, não tendo, no entanto, sido presente ao juiz. Será hoje ouvido pelo magistrado em primeiro interrogatório judicial, que determinará a aplicação de medidas de coacção.

O caso remonta a Maio deste ano quando a mulher, de 30 anos e a menos de um mês de dar à luz, se deslocou de Vila Real, onde vive, ao Porto para ter uma consulta com o especialista. A grávida estava num estado depressivo e foi aconselhada a ser consultada pelo psiquiatra, que dá nome à clínica situada no número 834 da rua de Gondarém, na Foz.

Segundo a investigação da Judiciária, que aguardou o resultado dos diversos exames e perícias médicas realizadas à grávida antes de avançar para a detenção, a violação ocorreu no consultório do psiquiatra. A vítima terá apresentado, de imediato, queixa às autoridades policiais, que a levaram para o hospital a fim de ser sujeita aos exames médicos exigidos nestes casos.

A grávida, que acabou por dar à luz pouco tempo após a violação, foi ainda sujeita a perícias psíquicas, que foram determinantes para a actuação da PJ.

Ao que o CM apurou, as conclusões dos exames médico-legais realizados à grávida são fortemente indiciadores de que o médico João Vasconcelos Vilas Boas terá violado a mulher, de 30 anos.

Só anteontem, após estar na posse de todos os resultados dos exames, a Judiciária deteve João Vasconcelos Vilas Boas, tendo apresentado o médico psiquiatra ao início da tarde ao Ministério Público.

O homem saiu do tribunal para uma cela da cadeia da PJ, no Porto, onde passou a noite, a fim de ser presente hoje ao juiz.

MÉDICO AÇORIANO FOI CONDENADO A PENA SUSPENSA

O Tribunal de Vila Franca do Campo, nos Açores, iniciou no princípio do ano o julgamento de um médico acusado de abusar sexualmente de duas crianças, entre 2004 e 2006. A mãe e avó das crianças também estavam acusadas por omissão do dever de vigilância das crianças, depois dos três arguidos terem sido detidos pela PJ em Fevereiro de 2006.

O julgamento decorreu à porta fechada e o médico foi condenado em Março a quatro anos de prisão. A pena foi suspensa e o médico saiu em liberdade.

APONTAMENTOS

ABUSOU DE MENOR

Em Junho deste ano um elemento da Comissão de Protecção de Crianças e Jovens de Famalicão foi detido pela PJ por abuso sexual de um rapaz de 16 anos, que geria o seu processo, e por posse de pornografia. Saiu em liberdade.

PROFESSORA CONDENADA

Uma professora de Braga foi este ano condenada a dois anos e meio de prisão, com pena suspensa, por abuso sexual de uma menor, sua aluna.

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!

Mais notícias

Mais notícias de Portugal

pub