Pais querem saber condições de acesso à Universidade

A Federação Regional de Lisboa das Associações de Pais exige que Nuno Crato esclareça como será organizado o calendário de acesso ao ensino superior
20.06.13
  • partilhe
  • 0
  • +

A Federação das Associações de Pais exigiu esta quinta-feira que o Governo esclareça se os alunos cujos exames de Português foram adiados devido à greve de professores vão ter condições iguais de candidatura ao Ensino Superior.

Numa carta aberta enviada ao ministro da Educação e Ciência, a Federação Regional de Lisboa das Associações de Pais (FERLAP) exige que Nuno Crato esclareça como se irá desenrolar o calendário de acesso ao Ensino Superior e "se aos alunos que irão realizar o exame de Português no dia 2 de julho, será garantida a candidatura em condições de igualdade com os alunos que fizeram prova no dia programado".

A FERLAP quer saber também como pretende o Ministério da Educação proceder face à greve às avaliações, "sem as quais o acesso ao Ensino Superior é impossível, salvo para os alunos do ensino particular e cooperativo".

A federação questiona ainda se o Ministério da Educação pretende, através do júri nacional de exames, anular a realização de alguma prova devido às condições em que foi realizadas e se quer introduzir algum fator de ponderação nas notas dos exames nacionais de Português e Latim.

Para a FERLAP, Nuno Crato deve também explicar como irá ser calendarizado o acesso à segunda fase dos exames para os alunos que não realizaram o exame na data marcada.

A federação lembrou que os pais tinham pedido ao Ministério da Educação que adiasse a realização dos exames nacionais de Português e Latim agendados para segunda-feira passada, dia em que estava marcada uma greve de professores.

"O Ministério desatendeu esse pedido e decidiu realizar o exame em condições que se vieram a revelar, em muitos casos, desadequadas", refere a federação.

A greve de docentes no passado dia 17 levou a que mais de 20 mil alunos não pudessem realizar o exame de Português, o que obrigou o ministério a marcar uma nova data para a prova - 2 de julho - exclusivamente para esses alunos.

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!
1 Comentário
  • De Sério23.06.13
    RESPOSTA CERTA NO MOMENTO CERTO.É FACIL, É DEMITIR O MINISTRO E O GOVERNO.JÁ CHEGA DE TANTA INCOMPETÊNCIA,DESTES MEDÍOCRES.O PAÍS ESTÁ O CAUS,TUDO POR MENTIRAS E ALDRABICES DESTE GOVERNO,QUE SÓ TRABALHOU PARA DESTRUIR.
    Responder
     
     0
    !