Prova zero mortal dos Comandos terá sido consentida

Alguns dos arguidos dizem que dois jovens mortos estes estavam cientes da dureza dos exercícios.
Por João Tavares|14.01.18
A defesa de alguns dos onze arguidos (do total de 19) que abriram instrução à acusação do Ministério Público no caso da morte de dois instruendos dos Comandos, em 2016, dizem que estes estavam cientes da dureza da prova zero, durante a qual se deram os óbitos. Esse suposto consentimento vai ser um dos argumentos da defesa.

O advogado Varela Matos avança, no ‘Público’, que "os homens são levados ao limite das suas forças físicas, até entrarem em exaustão, antes de serem conduzidos para uma simulação de combate". Já Alexandre Lafayette, defensor de um sargento, explica que os instrutores foram surpreendidos pela onda de calor. Os instruendos morreram devido à exaustão e calor extremo.

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!