Sub-categorias

Notícia

Provas de fraudes escondidas em parede falsa

Contabilista, de 58 anos, escondeu milhares de documentos comprometedores em casa.
Por Liliana Rodrigues e Tânia Laranjo|02.12.16
Milhares de documentos comprometedores estavam escondidos atrás de uma parede falsa em casa de Joaquim Sampaio Oliveira. O discreto técnico oficial de contas, de 58 anos, é um dos pilares em que assentava o esquema de fraude milionária à Segurança Social, liderado pelos irmãos e advogados Salgado, que foi desmontado na megaoperação Trapos Soltos, da PJ de Braga.

O contabilista, com um modesto escritório – o FantasConta – no rés do chão de uma casa numa freguesia de Famalicão, é um dos oito arguidos no elaborado esquema de fraude, que terá lesado o Estado em 15 milhões de euros, em apenas cinco anos. Desde apoios do QREN, recebidos para empresas-fantasma, até faturação fictícia para ficar com o reembolso do IVA, o grupo, indiciado por associação criminosa, fazia de tudo para enganar o Estado.

Na moradia em que Joaquim Sampaio Oliveira vive, na rua Francisco Brandão, em Sequeiró, Santo Tirso, os inspetores conseguiram perceber a existência de uma parede falsa que dava acesso a um quarto, onde o contabilista tinha arquivadas centenas de pastas com milhares de documentos que podem provar as burlas e que tiveram de ser transportados num camião para a Judiciária de Braga. Vão agora ser analisados.

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!
Comentário mais votadoEscreva o seu comentário
  • De bruno0002.12.16
    devia ser tudo corrido a rendimento mínimo...
1 Comentário
  • De bruno0002.12.16
    devia ser tudo corrido a rendimento mínimo...
    Responder
     
     0
    !

Mais notícias

Mais notícias de Portugal

pub