Sub-categorias

Notícia

Relatório de Pedrógão Grande critica demora na retirada de populações

EDP afirma que existia faixa de proteção de cabos elétricos, ao contrario do que diz a comissão.
Por José Carlos Marques e Lusa|12.10.17
O Relatório da Comissão Técnica que avaliou a resposta dos meios de socorro aos incêndios de Pedrógão Grande aponta falhas graves na resposta ao incêndio. E não só no momento quem que as chamas deflagraram, mas antes, quando a prevenção foi negligenciada, num dia em que estavam reunidas condições para um fogo incontrolável. O que veio a acontecer, com um resultado funesto de 64 mortes.

Leia na íntegra o relatório sobre o incêndio de Pedrógão Grande


O texto entregue esta quinta-feira na Assembleia da República revela que "... para além das excecionalidades meteorológicas atrás referidas, não houve pré-posicionamento de forças, nem análise da evolução da situação com base na informação meteorológica disponível. A partir do momento em que foi comunicado o alerta do incêndio, não houve a perceção da gravidade potencial do fogo, não se mobilizaram totalmente os meios que estavam disponíveis e os fenómenos meteorológicos extremos acabaram por conduzir o fogo, até às 03h00 do dia 18 de junho, a uma situação perfeitamente incontrolável"..

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!
Comentário mais votadoEscreva o seu comentário
  • De maisquetudo12.10.17
    E agora Constança e A Costa, já são capazes de pedir perdão às vítimas e aos respectivos familiares pela vossa incompetência mas em nome da vossa responsabilidade? Os 64 mortos e os que sobreviveram aguardam tal como o país que não esquece esta tragédia.
2 Comentários
  • De tojornais12.10.17
    Incompetência do governo ao trocar o pessoal que lá estava aos anos e a conhecer o terreno e lá colocar os amigos incompetentes.Porque razão não são os bombeiros a coordenar o terreno se o conhecem melhor do que ninguém? Como é possível ter à frente deste ministério uma incompetente que não percebe.
    Responder
     
     0
    !
  • De maisquetudo12.10.17
    E agora Constança e A Costa, já são capazes de pedir perdão às vítimas e aos respectivos familiares pela vossa incompetência mas em nome da vossa responsabilidade? Os 64 mortos e os que sobreviveram aguardam tal como o país que não esquece esta tragédia.
    Responder
     
     0
    !

Mais notícias

Mais notícias de Portugal

pub