Salva família e animais de morrerem queimados

Durante duas horas, José Eduardo, de 60 anos, lutou contra as chamas no sítio da Eira Cavada. Mãe e tios foram levados por vizinho.
Por Ana Palma e Rui Pando Gomes|11.08.18
Cercado pelo fogo junto ao curral dos porcos, que tentava salvar, no sítio da Eira Cavada, em Monchique, José Eduardo, de 60 anos, diz que se salvou "por milagre".

"O fogo chegou à minha casa pela 01h00 da madrugada. Eu tinha conseguido passar a barreira montada na EN266, que estava cortada pela GNR, porque expliquei que tinha lá a minha mãe, de 83 anos, uma tia debilitada e um tio, com Alzheimer, com 82 anos. Ninguém os tinha vindo retirar", contou ao CM, adiantando ter vivido "momentos de terror".

"Disse a um vizinho meu para fugir e levar com ele a minha mãe e os meus tios, que foram para o Portimão Arena, onde ficaram em segurança", adiantou José Eduardo, que durante duas horas viu as chamas destruírem-lhe "o pomar de citrinos, os medronheiros, os sobreiros, as vedações dos animais, a casa das rações e das alfarrobas e seis porcos". No terreno de 6,5 hectares que José Eduardo possui na Eira Cavada, ardeu quase tudo. "Mas consegui salvar a casa, os cães, as cabras, galinhas e três porcos", revelou, emocionado.

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!