Sub-categorias

Notícia

Sexo oral no posto da GNR foi consentido

Militar acusado de crime de violação foi absolvido no tribunal de Portimão.
Por Rui Pando Gomes|06.12.17
O militar da GNR que estava a ser julgado por violação de uma empregada de limpeza dentro do posto de São Bartolomeu de Messines, em Silves, foi esta terça-feira absolvido no Tribunal de Portimão.

O militar estava acusado da prática de um crime de violação consumada, por alegadamente ter obrigado uma mulher que fazia limpeza no posto da GNR a fazer-lhe sexo oral, quando se encontrava de serviço, em julho de 2015. Os juízes do Tribunal de Portimão consideraram que as relações sexuais foram consentidas pela alegada vítima.

Segundo o acórdão, "não se provou que o arguido tenha usado violência ou ameaça grave a fim de obrigar a assistente" a praticar atos sexuais. De acordo com o coletivo de juízes, apesar de os vestígios biológicos recolhidos pela Polícia Judiciária no posto corresponderem ao arguido - o que prova o contacto sexual - o envolvimento entre ambos, que já tinha acontecido noutras ocasiões, ocorreu por vontade mútua.

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!

Mais notícias

Mais notícias de Portugal

pub