Sub-categorias

Notícia

VÍTIMA DE RITTO CONTA TUDO

O Correio da Manhã revela na íntegra o documento que está na posse do DIAP, Inspecção-Geral de Saúde e Catalina Pestana, com o depoimento de João A., ex-aluno da Casa Pia, em que este acusa o ex-funcionário da instituição Carlos Silvino (Bibi) e o diplomata Jorge Ritto de abusos sexuais.
17.01.03
  • partilhe
  • 0
  • +
“Fui aluno da Casa Pia de Lisboa, na Seccão de Maria Pia, no Lar "Luz Soriano", entre os anos, sensivelmente, 1985, até finais de 1999. Com a publicação de notícias sobre casos de violação e assédio sexual na Casa Pia de Lisboa, em que era referenciado o nome de Carlos Silvino, mais conhecido por ‘Bibi’, decidi contar toda a minha história, passada naquela instituição à sra. (...). Desejo narrar toda a minha história, em que pessoas como o ‘Bibi’, o ‘Médico’, que se chama ‘M.’, que foi operado à cabeça e tem uma cicatriz, na parte esquerda da cabeça; o ‘A.P.’ e o ‘A.’, cozinheiro.

1 – Começo pelo ‘Bibi’ (Carlos Silvino): Assim, sensivelmente pelos meus seis anos de idade, recordo ter sido a primeira vez que fui "violado" pelo Senhor Carlos Silvino. Tudo se passou quando o referido indivíduo, no exercício da sua profissão, se deslocava ao referido Lar e me transportava a mim e a mais colegas para colónias de férias, tais como "Colares", "Areia Branca", "Armação de Pêra", etc.

Numa dessas viagens, penso que no dia 31 de Julho de 1987, desloquei-me, com os colegas, talvez para "Armação de Pêra", numa camioneta da CPL, seguindo também o "Bibi", num veículo de pesados, onde transportava os colchões e vários géneros do economato: roupas, alimentação, produtos de limpeza, etc... Na paragem numa área de serviço, o "Bibi" pagou-me um gelado e "apalpou-me" todo na casa de banho e obrigou-me a apalpar o seu sexo, tendo-me fechado no interior de uma retrete, tendo penetrado no meu ânus e, seguidamente, masturbou-se.

Esta foi a primeira vez que o referido abusou de mim. Não me tendo queixado a ninguém, porque, como ele disse, caso "bufasse a alguém, que me batia e me matava". Recordo que esta foi a primeira vez...
(Recordo que nesta data um dos outros alunos a que o "Bibi" não só oferecia gelados e desejava outras coisas, se chamava "H.", mais ou menos da minha idade, que tinha um outro irmão mais novo, que estavam no "Lar de Chelas". Éramos muito amigos e andávamos sempre juntos.)

Mais ou menos no ano seguinte, 1988, penso que num período escolar em que havia aulas, numa época de chuva e frio, numa casa de banho da Secção Maria Pia, no pátio coberto, junto ao campo de basquetebol, onde os da "primária" brincavam (hoje estará lá penso que um pavilhão), o "Bibi" e o sr. "A.", empregado da cozinha na altura, agarraram-me e pediram para eu os masturbar mutuamente. Primeiro fui obrigado a masturbar o "A.", tendo este de seguida saído da casa de banho para verificar se vinha alguém, tendo avisado que estava tudo isolado e foi-se embora. De seguida, o "Bibi" penetrou-me e masturbou-se.

Relativamente ao "Bibi", recordo-me que cenas destas praticaram-se várias vezes, tendo a última ocorrido sensivelmente quando eu tinha 14 anos, portanto em 1995/1996, sempre nas casas de banho do Maria Pia.
Ele levou-me por diversas vezes para casas de pessoas estranhas, ricas, com grandes "casarões", algumas das quais falavam línguas estrangeiras. Tais locais eram Cascais e Estoril. Tendo ido a quatro casas. Uma das quais de um senhor de óculos, que hoje sei que se chama "Jorge Ritto". Tendo, na casa deste último, sido levado, sensive1mente em 1996, quando eu já tinha 15 anos. Recordo-me, se hoje lá for levado, onde se situam as referidas casas.

O "Bibi" transportava-me numa "carrinha branca, com porta ao lado de correr, de marca "Renault Expresso". Algumas destas viagens, a casa de pessoas estranhas, eu ia acompanhado também pelos colegas de nomes "R." e "L.", sensivelmente com as mesmas idades, talvez de "Pina Manique". O "Bibi" deixava-nos lá, nas referidas casas, e depois de nos fazerem sexo, eram esses senhores, ou seus amigos, que nos iam colocar ao colégio. O "L." e o "R." eram deixados em Belém e eu era levado ao Maria Pia.

Recordo-me que em 1996/1997, com 15/16 anos, foram os últimos anos em que o "Bibi" se aproveitou de mim. Ele, em troca, oferecia-me dinheiro e outras prendas, tais como gelados e outros doces.

2 – o "A.", cozinheiro, sensivelmente na altura (1988) com 40 anos, só praticou aquele acto, atrás referido, numa casa de banho, com o "Bibi".

3 – "A.P.". – Este violou-me. Recordo-me que este senhor se iniciou quando eu tinha sensivelmente oito anos (mais ou menos 1989), na mesma casa de banho, referida atrás, perto do "campo coberto". Ele penetrou-me e masturbou-se de seguida.

4 – "0 Médico" – Este médico, que exercia a sua profissão no "Posto 28", na Afonso III, por várias vezes que lá me desloquei, com problemas nos ombros, ou nos ouvidos, ele mandava deitar-me na marquesa, despir as calças e mexia-me no sexo. Deste facto, queixei-me ao meu educador, na altura, de nome "M. F.".

Estes foram os episódios que mais me marcaram, podendo, ainda, vir à cabeça outros que tenham acontecido e que agora não me recordo. Saí da Casa Pia de Lisboa sensivelmente no Natal de 1999, expulso pelo educador "M." e educadora "E.", sem se preocuparem para onde ir, ou se tinha habitação, emprego, etc. Tendo ficado cerca de um mês a viver na rua. E, eu, tendo sido desta forma expulso da Casa Pia de Lisboa, não me revoltei por ter passado o que passei.
Acima de tudo, desejava que fosse feita justiça sobre estas pessoas que se aproveitaram de mim.”

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!

Mais notícias

Mais notícias de Portugal

pub