Sub-categorias

Notícia

44 meses fora do País sem efeitos na reforma

Supremo Tribunal Administrativo considera que coordenar o ensino do Português não é função dirigente.
Por André Pereira|28.11.16
  • partilhe
  • 2
  • +
44 meses fora do País sem efeitos na reforma
Genebra é uma das várias cidades suíças onde há escolas com ensino de língua portuguesa Foto Gaetan Bally/EPA
O cargo de Coordenador do Ensino de Português no estrangeiro não conta para efeitos de aposentação. É este o entendimento do Supremo Tribunal Administrativo (STA) que agora decidiu um diferendo entre uma professora, Maria Madalena Silva, e a Caixa Geral de Aposentações (CGA).

A docente, que dava aulas na EB 2,3 Padre António Luís Moreira, em Pedroso (Vila Nova de Gaia), exerceu a função de coordenadora do Ensino de Português na Suíça, entre janeiro de 2007 e agosto de 2010 (44 meses).

Pediu a aposentação em 2010, pensando que o valor da mesma seria em função do vencimento (5874 € de ordenado + 1458 € de abono) auferido na Suíça. A CGA recusou e o diferendo chegou à Justiça em 2011.

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!

Mais notícias

Mais notícias de Sociedade

pub