Fenprof acusa OCDE de apresentar dados falsos sobre salários de professores

Relatório indicava que os docentes portugueses são dos mais velhos e mais bem pagos.
Por Lusa|12.09.18
  • partilhe
  • 9
  • +

A Fenprof acusou esta quarta-feira a OCDE de apresentar um relatório com dados errados sobre os salários dos professores portugueses e as horas de trabalho, exigindo a sua correção, assim como saber quem forneceu as informações.

Na terça-feira foi divulgado o relatório "Education at a Glance 2018", do qual "têm sido destacados dois aspetos: os professores portugueses ganham mais que os outros trabalhadores do país com a mesma qualificação; os professores portugueses trabalham menos que os seus colegas dos países da OCDE. Duas mentiras!", acusa a Federação Nacional dos Professores.

Num país onde o rendimento médio dos trabalhadores com formação superior é baixo, os professores aparecem como ganhando, em média, mais 35 a 50% quando comparados com outros trabalhadores com iguais qualificações.

No entanto, a Fenprof garante que "os salários dos professores portugueses não são os que o relatório refere".

Segundo o relatório, um docente em início de carreira ganha anualmente 28.349 euros. O sindicato de professores diz que o salário mensal bruto é de 1.530 euros, o que significa quase menos sete mil euros anuais em relação aos números da OCDE.

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!