Há 10 anos que não havia tão poucos jovens que não trabalham nem estudam

Número de jovens "nem-nem" atingiu mínimos de dez anos na União Europeia.
12.07.18
O número de jovens que não estudam nem trabalham continua a diminuir na União Europeia. A percentagem desses jovens entre os 15 e os 24 anos atingiu um mínimo de 2008 no primeiro trimestre deste ano. A estimativa do Eurostat divulgada esta quinta-feira, dia 12 de julho, aponta para que os "nem-nem" representem 10,6% do total dos jovens europeus.

A taxa mais baixa de jovens que não estudam nem trabalho foi registada pela Holanda com 4,1%, assim como pela República Checa com 5,7% e a Suécia com 6,2%. Do outro lado da tabela estão países como Itália (19,1%), Chipre (15,6%) e Bulgária (15%). Já Portugal encontra-se abaixo da média da União Europeia e da Zona Euro ao ter registado 8,8% de jovens "nem-nem" no arranque de 2018. Durante a crise a taxa chegou perto dos 15%.

De acordo com os dados do Instituto Nacional de Estatística (INE) relativamente ao primeiro trimestre, havia 234,1 mil jovens (10,5%) que não estudam nem trabalhavam em Portugal. Contudo, há uma diferença: este número refere-se ao intervalo de idade dos 15 e aos 34 anos e não dos 15 aos 24 anos utilizado pelo Eurostat.

Os jovens "nem-nem" são assim considerados quando não estão empregados (são desempregados ou inativos), nem estão registados em qualquer tipo de educação ou formação formal ou informal.

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!