Projeto de ajuda propõe apadrinhamento de famílias desalojadas nos fogos de Monchique

Fundado por "filhos da terra", este movimento é constituído por mais de 200 voluntários.
Por Lusa|16.08.18
  • partilhe
  • 0
  • +

Fundado por "filhos da terra" e constituído por mais de 200 voluntários, o movimento Ajuda Monchique pretende apoiar a população afetada pelo incêndio que lavrou na região do Algarve, propondo à sociedade civil o apadrinhamento das famílias desalojadas.

Levantamento de perda de bens em fogo de Monchique está já em curso

"Temos um apuramento de 250 famílias afetadas, das quais 160 famílias precisam de ajuda", nomeadamente alimentação e alojamento, avançou esta quinta-feira à agência Lusa Joana Martins, uma das fundadoras do grupo "Ajuda Monchique".

Natural de Monchique, Joana Martins vive em Moçambique e estava em missão na África do Sul quando teve conhecimento do fogo que lavrava na zona do barlavento algarvio. Ao saber da situação, a jovem algarvia decidiu "apanhar o primeiro avião" e voltar à terra natal, onde a família ainda vive, para poder ajudar.

População de Monchique aplaude bombeiros que combateram incêndio

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!