Médicos deixam 117 vagas por preencher

Houve mais concorrentes mas ainda não foram em número suficiente. Sindicato exige melhores condições.
Por Edgar Nascimento|09.08.18
Foram abertas 1234 vagas para médicos recém-especialistas, mas não foram todas preenchidas – 117 não tiveram qualquer candidato. No entanto, o número de concorrentes foi muito superior ao do ano passado – passou de 810 para 1117 médicos.

Uma realidade que, segundo o secretário de Estado Adjunto e da Saúde, Fernando Araújo, demonstra que "quanto mais célere for a abertura de concursos, mais capacidade há de captar profissionais". Das 1234 vagas, 378 eram para Medicina Geral e Familiar, nos centros de Saúde, e 856 para áreas de especialidade hospitalar e para saúde pública.

Já Jorge Roque da Cunha, presidente do Sindicato Independente dos Médicos, afirmou que o concurso não foi "tão competente" como os profissionais mereciam. "Foi positivo, mas se houvesse competência por parte do Ministério da Saúde e se criasse condições de estabilidades aos internos, haveria mais gente a concorrer", afirmou, após visita conjunta com o bastonário Miguel Guimarães ao Hospital Egas Moniz.

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!