Proibição de abate de animais com riscos para saúde

Bastonário considera que expectável aumento de animais nas ruas representa um perigo para as pessoas.
Por João Saramago|10.09.18
O fim do abate dos animais de companhia pelos municípios pode colocar em risco a saúde pública, alerta o bastonário da Ordem dos Médicos Veterinários, Jorge Cid. No seu entender, haverá um "problema gravíssimo" a partir de dia 23: "por um lado, as câmaras e veterinários municipais são obrigados a recolher os animais errantes; por outro lado, não têm sítio onde os pôr".

Segundo o bastonário, a existência de um número muito elevado de animais abandonados nas ruas dará lugar à propagação de zoonoses, doenças infecciosas de animais capazes de serem transmitidas ao ser humano.

Para Jorge Cid, é "inevitável" que se tome "uma decisão" relativa a esta lei, aprovada por unanimidade no Parlamento a 9 de junho de 2016. "Alguém vai ter de tomar uma decisão e essa decisão tem de ser política, não pode ser outra. O problema é que há leis que podem ser corretas na sua génese, mas podem ter efeitos ao contrário e isto é um caso que eventualmente pode ter se não se arranjar um solução rápida", considera, em declarações à agência Lusa.

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!