Técnica de diagnóstico deteta cancro da próstata mais cedo

Fragmentos das lesões são depois enviados para o laboratório.
Por Francisca Genésio|05.11.17
Há mais uma arma no combate ao cancro da próstata. A biopsia prostática de fusão é uma nova técnica de diagnóstico deste cancro. Esta tecnologia inovadora combina as imagens obtidas com a ressonância magnética nuclear com a imagem obtida por ecografia prostática em tempo real.

"A técnica de fusão, assim lhe chamamos, permite detetar cancro com uma taxa muito superior à biopsia ‘standard’. Outra das particularidades é que também conseguimos caracterizar o tumor, permitindo-nos saber que tipo de tratamentos se poderão aplicar às lesões daqueles doentes", explicou ao CM o médico urologista João Magalhães Pina.

Depois de sobrepostas as imagens, o urologista pica diretamente as lesões suspeitas, identificadas através da ressonância, e retira o fragmento, com a coordenada que a grelha dá para análise. "Com a informação da grelha e olhando para o contorno da próstata, é possível delinear o local onde o tumor se encontra, saber se é só ali ou se há em mais algum sítio", explica o urologista.

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!