Vítima da gripe A morre no S. João

Um homem de 53 anos morreu ontem no Hospital de São João, no Porto, infectado com o vírus da gripe A (H1N1). Trata-se da terceira morte provocada pelo vírus, tendo por base os dados do Centro Europeu para o Controlo e Prevenção da Doença, entidade que recebe a informação do Ministério da Saúde.
12.10.09
  • partilhe
  • 0
  • +
Vítima da gripe A morre no S. João
Vítima deu entrada no hospital com uma pneumonia Foto Rui Manuel Fonseca

O doente residia no Porto e estava internado desde 14 de Setembro na Unidade de Cuidados Intensivos de Doenças Infecciosas. Faleceu com um quadro de disfunção multiorgânica, decorrente da contaminação pelo vírus da gripe.

Segundo o hospital, o doente não teria outras doenças que pudessem complicar a sua situação clínica. Em comunicado, a unidade de saúde informa que o homem “deu entrada com pneumonia bilateral”, tendo progredido para um estado de insuficiência respiratória grave. Veio a falecer pelas 05h00 de ontem com quadro de “disfunção multiorgânica consequente à infecção pelo vírus da gripe”. O São João “apresenta sinceras condolências à família”.

Os dois casos anteriores ocorreram em Setembro: o primeiro foi um emigrante português, de 41 anos, com problemas renais. O Hospital de Stº António, onde José Sousa esteve internado, considera que morreu de “infecção bacteriana” e não com H1N1.

O segundo caso mortal foi Diogo Alvim, de 49 anos, candidato pelo CDS-PP à Câmara de Ourém, que morreu a 26 de Setembro, no Hospital Curry Cabral, em Lisboa.

"TEMOS POUCOS CASOS DE PNEUMONIA POR GRIPE A", António Segorbe Luís, Presidente da Sociedade Portuguesa de Pneumologia

– A morte de mais uma pessoa por gripe A sem antecedentes de doença é um sinal preocupante?

Segorbe Luís – A incidência de uma pneumonia grave associada à gripe A é baixa, enquanto que devido à gripe sazonal o número de casos é mais elevado.

– Mas os dois últimos casos eram pessoas saudáveis que desenvolveram um quadro de insuficiência respiratória grave de uma forma muito rápida.

– Não sei quantos dias essas pessoas tiveram antes de serem internadas nas Unidades de Cuidados Intensivos e quanto tempo estiveram lá internadas.

– O internamento numa Unidade de Cuidados Intensivos é um risco acrescido aos doentes por poderem desenvolver infecções hospitalares que agravam o quadro clínico?

– Certamente.

– Disse que a incidência de quadros de insuficiência respiratória grave associado à gripe A é baixo, mas em poucas semanas de intervalo tivemos duas mortes.

– Não deixam de ser dados estatísticos reduzidos. Temos 14 mil casos diagnosticados, cinco pessoas internadas nos Cuidados Intensivos e três mortes. Temos uma taxa de mortalidade de 0,1 por cento, enquanto a nível mundial essa taxa é mais elevada, é de 0,3 por cento.

– Há razão para alarme social?

– Não. As pessoas devem preocupar-se na identificação do quadro gripal e ter boas práticas nas primeiras 48 horas.

– Isso significa?

– Significa que devem identificar o quadro gripal (febre alta, desarranjo intestinal, tosse, dores no corpo) e procurar informação junto de um profissional de saúde, através da Linha Saúde 24 (808 24 24 24) ou através do centro de saúde. A pessoa não deve ir trabalhar ou ficar em casa à espera que passe.

– Não se devia já saber isso?

– Ainda há muitas ideias erradas.

FAMÍLIA À ESPERA DE RESPOSTA

A família de José Maria Pereira de Sousa, a primeira pessoa a morrer infectada com gripe A em Portugal, continua à espera de resposta do Hospital de Santo António sobre as causas concretas da morte. Pronta a avançar com uma queixa contra a unidade de saúde por considerar que o Hospital não está a ser "sério" nesta questão, a família aguarda resposta a um pedido de esclarecimento, feito a 29 de Setembro, seis dias depois da morte.

"O hospital disse que ele não morreu da gripe, mas de infecções várias, derivadas da operação aos intestinos e de problemas renais, mas a verdade é que antes de ter contraído a gripe ele andava bem e após a infecção piorou até à morte", disse ao CM Maria Augusta Sousa, irmã de José Pereira de Sousa. O homem, de 41 anos, natural de Vieira do Minho, estava emigrado em França. Morreu a 23 de Setembro, no Porto.

GRIPE VISTA À LUPA

1772

doentes com sintomas de gripe, independentemente do vírus em causa, foram diagnosticados entre 28 de Setembro e 4 de Outubro. O número de pessoas infectadas ultrapassa as 14 mil.

VACINAS CHEGAM DIA 19

As vacinas contra o vírus da gripe A deverão chegar a Portugal a partir do dia 19. Vêm de Bruxelas e são transportadas em camiões-frigorífico.

"Muitas pessoas ainda têm ideias erradas, pensam que a gripe se adquire nos hospitais ou que não é contagiosa.", Segorbe Luís, Presidente da Sociedade de Pneumologia

 

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!