Correio da Manhã

Copenhaga, o espírito nórdico numa cidade jovem, feliz e cara
Foto Sean Pavone
Foto Alexsandar Georgiev
Foto Direitos Reservados
Foto Birute
Foto Picsfactory
Por Cátia Nobre | 17:08
  • Partilhe
Pedalar pelas ruas da capital dinamarquesa é uma forma simples e rápida de ver a cidade em dois dias.

Dizem que os dinamarqueses são os mais felizes do mundo. Ao visitar Copenhaga é fácil perceber os motivos. A cidade é plana, fácil de percorrer a pé e de bicicleta, pequena e repleta de gente jovem.

É frequente ver muitas crianças a passear com os pais. O trânsito existe quase exclusivamente com bicicletas, usadas por pessoas de todas as idades, a qualquer hora do dia. Nyhavn é provavelmente a zona mais conhecida devido aos prédios coloridos junto ao rio.

É ideal para beber uma cerveja ao final do dia. O Palácio de Amalienborg é a residência de Inverno da Família Real e merece visita, bem como o Palácio Christiansborg, onde se situa o Parlamento. O Castelo Rosenborg, construído em 1600, e o seu jardim são de visita inadiável na cidade.

Christiania, a ‘Cidade Livre’ da Dinamarca fundada em 1971
É, certamente, o bairro mais alternativo que vai encontrar em Copenhaga. Esta antiga base militar, com mais de 30 hectares, prolongou no tempo o espírito ‘flower power’ e ‘hippie’. Os edifícios foram ocupados por anarquistas em 1971, que redigiram as próprias leis. No bairro não são permitidas armas, não podem ser consumidas drogas pesadas, e a única coisa que se pode fumar é canábis ou haxixe. A polícia raramente entra na zona, que tem a própria escola, centro cultural e até meios médicos. Os turistas são tolerados no bairro.

Passeios de barco
Durante cerca de uma hora é possível conhecer Copenhaga de uma perspetiva diferente. O ponto de partida é o porto de Nyhavn, tendo como fundo as suas casas coloridas de madeira. Se a viagem for feita com sol, é comum ver muitos dinamarqueses a conviverem nas margens, com amigos ou em família, quase sempre de cerveja na mão. Irá também cruzar-se com inúmeros barcos atracados pelo caminho, que ajudam a compor uma bela imagem da cidade. No passeio irá passar por alguns dos pontos mais emblemáticos e por bairros habitacionais. O bilhete custa cerca de 10 euros por pessoa, com direito a explicações de um guia.Restaurante Noma
Considerado várias vezes o melhor restaurante do Mundo, o Noma tem uma longa lista de espera. Fica na rua Strandgade, 93. 

PUBLICIDADE
Biblioteca Real
É a maior da Escandinávia e é composta por dois edifícios. No edifício mais moderno pode apreciar a cidade na esplanada.

Parque Tivoli
Inaugurado em 1843, o parque de diversões tem espetáculos de música, ballet e teatro. A entrada mais barata custa 15,10 euros.

Siga o CM no Facebook.

  • Partilhe
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE