Correio da Manhã

Mosteiro e citânia contam história de Paços de Ferreira
Foto Carlos Gonçalves
Foto Carlos Gonçalves
Foto Carlos Gonçalves
Foto Carlos Gonçalves
Foto Carlos Gonçalves
Foto Carlos Gonçalves
Foto Carlos Gonçalves
Por Ana Isabel Fonseca | 21:23
  • Partilhe
Cidade é conhecida como a capital do móvel, mas tem muito mais para oferecer aos visitantes.

É conhecida como a capital do móvel, mas na realidade Paços de Ferreira tem muito mais para oferecer. Trata-se de uma cidade bastante rica e visitar esta localidade é quase uma viagem no tempo. Exemplo disso mesmo é a Citânia de Sanfins, uma estação arqueológica que é hoje uma das principais testemunhas da cultura castreja do noroeste peninsular.

Ocupa 18 hectares e as escavações deixaram a descoberto uma centena e meia de habitações. Quem visita este local pode ver a reconstrução destas unidades familiares, que começaram a ser construídas no século XI a.C. e pode também ficar a conhecer o museu, que exibe peças encontradas nas escavações.

Um outro importante marco da história desta região é o Mosteiro de Ferreira, considerado uma das joias do património das Terras do Sousa. Teve uma forte influência na Idade Média, nomeadamente no povoamento e desenvolvimento agrícola e cultural da região. Trata-se, também, de um importante testemunho da arquitetura do século XII que possui uma força e uma robustez verdadeiramente impressionantes.

Já na freguesia de Lamoso, os visitantes podem encontrar um outro ponto de grande interesse: o Dolmen da Leira Longa. Este monumento funerário, cuja construção data do III milénio a.C., possui uma mamoa com 25 metros e uma altura de três metros. Tem ainda uma câmara poligonal, constituída por nove esteios, que sustentam a enorme laje de cobertura que se encontra em parte fraturada.

Quem visita a cidade não pode, no entanto, ignorar a sua já muito conhecida ligação ao mobiliário. Paços de Ferreira criou, aliás, um museu do móvel, que dá a conhecer não só a evolução deste tipo de indústria, mas também as origens do povoamento da cidade. É possível ficar a conhecer a forma como é transformada a madeira e, ao mesmo tempo, perceber quais são os seus destinos naquilo que respeita ao mobiliário.

Um outro ponto a não perder durante uma visita será, sem dúvida, o parque de lazer de Freamunde, que se situa junto ao rio e onde se pode pescar. O parque apresenta zonas para piqueniques, áreas especialmente dedicadas aos mais novos, dois campos de ténis e, até, um espaço onde quem quiser pode praticar alguns desportos radicais.

Siga o CM no Facebook.

  • Partilhe
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE