Barra Cofina

Correio da Manhã

Boa Vida
2

Beleza Alentejana

É amor à primeira vista que se torna numa relação estável e duradoura. A região está na moda e tem muito para oferecer.
Pedro Galego 9 de Janeiro de 2017 às 23:00
Alentejo, região, turismo, gastronomia, hotelaria
Alentejo, região, turismo, gastronomia, hotelaria FOTO: iStockphoto
A paixão que o alentejo suscita não deixa ninguém indiferente. Prova disso são as 1,6 milhões de dormidas em 2016, um número recorde ao qual ainda falta somar os alojamentos em turismo rural e campismo.

São indicadores que mostram que há uma relação estável e em crescimento entre quem o procura e que perspetivam para 2017 outro ano em cheio para este setor na região.

Além destes números, há ainda uma subida constante de todos os parâmetros, como taxa de ocupação por quarto – que já é superior a 50 por cento – e a duração média do alojamento, que já fica próxima das duas noites. Segundo a Entidade Regional de Turismo, o visitante é hoje também mais culto e com maior disponibilidade financeira.

Todos estes fatores levam a perceber e a justificar o constante surgimento de novas unidades hoteleiras no Alentejo, e com cada vez mais qualidade, e a escolha da região para a realização de eventos que prometem atrair milhares de turistas.

O Alentejo entra no coração dos visitantes 365 dias por ano. Há serra, mar, planícies, gastronomia única e um património histórico e cultural que cada vez mais suscita o interesse de turistas nacionais e estrangeiros.

Sucesso do formato vai duplicar a oferta
Os vinhos do alentejo são dos grandes embaixadores da região. Não é de estranhar que se tenha apostado também na vertente turística que dá a conhecer como nasce o néctar dos deuses. O forte crescimento da procura do enoturismo ao longo dos últimos anos leva a que esteja previsto em 2017 duplicar a oferta de locais onde, além do alojamento, os turistas podem participar ativamente nas vindimas e em todo o processo de criação de vinhos nas adegas onde nascem os ‘alentejanos’. 

Conhecer os recantos da história entre migas e açordas
Arriscamos a dizer que o templo romano de évora é tão conhecido pelo mundo fora como as migas ou as açordas. O património e a gastronomia alentejana serão certamente os principais cartões de visita de uma região que tem apostado, ao longo dos últimos anos, na certificação dos seus ex-líbris. Exemplo disso mesmo foi a criação de um guia de restaurantes certificados do Alentejo, que conta com mais de 80 entradas para os verdadeiros templos da cozinha que nasceu das raízes mais humildes e que hoje se transformou em marca incontornável.

Falar do cozido de grão do restaurante ‘A Maria’, no Alandroal, dos pezinhos de porco da ‘Casa do Parque’, em Castelo de Vide, ou das enguias fritas do ‘Chez Daniel’, na lagoa de Santo André, podem ser motivos suficientes para despertar o interesse dos mais céticos em fazer uma visita pelos sabores do Alentejo.

Depois há todo um património edificado que conta lendas de reis, princesas e cavaleiros audazes. Évora é a cidade-rainha e Património Mundial desde 1986. Elvas, Marvão, Monsaraz e Estremoz são outros dos locais onde cada pedra conta uma história, mas desde Odemira até ao Gavião (e falamos de um terço do território nacional) há motivos de interesse e que estão a tornar o Alentejo num destino de excelência, quer a nível nacional, quer a nível internacional. Outra das bandeiras para 2017 passa pela aposta no turismo sustentável na região e na certificação dessa mesma sustentabilidade. Para os amantes da natureza e do turismo religioso haverá este ano uma forte aposta na promoção dos Caminhos de Santiago a Sul do Tejo, não esquecendo o imenso lago de Alqueva, que mudou a face da região e que permite hoje novas ofertas como o turismo náutico com os já famosos barcos-casa.

Mais hotéis de cinco estrelas
O crescimento da oferta de quartos no Alentejo acompanha o aumento da procura (em todas as categorias de alojamento), mas também o crescimento do nível de exigência do turista. Numa região que há pouco mais de uma década não tinha qualquer hotel de cinco estrelas, hoje são já mais de uma dezena de locais com a classificação máxima. 

Prova para a elite da orientação
Entre os dias 23 e 28 de fevereiro, o Norte Alentejano recebe a elite da orientação para uma prova a pontuar para o ranking mundial desta modalidade, o Portugal O’Meeting 2017. É nos concelhos de Portalegre, Alter do Chão e Crato que estes atletas e os amantes da modalidade testam capacidades e dão um fôlego ao turismo da região em época baixa.

Candidaturas estão na calha
Depois do cante e dos chocalhos, o Alentejo tem mais três candidaturas à UNESCO na calha: os Bonecos de Estremoz, as Festas do Povo de Campo Maior e o concelho de Castro Verde a Reserva da Biosfera. Estes reconhecimentos internacionais são, segundo a Entidade Regional de Turismo, também uma forma de despertar o interesse na região. 

Regata mundial espera atrair mais de 350 mil pessoas a Sines 
A terra de vasco da gama tem agendado um dos eventos mais relevantes de 2017 para o Alentejo. A regata Tall Ships, que recebe dezenas de veleiros de todo o Mundo, será um festival em terra e no mar entre os dias 28 de abril e 1 de maio. Provenientes de Royal Greenwich, no Reino Unido, e antes de cruzarem o oceano Atlântico, vão passar por Sines, que vai abrir pela primeira vez o porto a estes gigantes dos mares e viver quatro dias de atividades com visitas às embarcações, desfiles dos tripulantes, concertos, fogo de artifício e outras iniciativas com entrada livre. Segundo as estimativas, são esperadas mais de 350 mil pessoas no evento, para ver passar os barcos e conhecer os grandes navegadores do séc. XXI.

Festival Islâmico está de regresso  
De 18 a 21 de maio volta à vila de Mértola o Festival Islâmico, iniciativa que recria de dois em dois anos o ambiente da cidade muçulmana que esteve na origem desta localidade. O mercado de rua e os espetáculos são os pontos altos deste evento, que ajuda a perceber as influências árabes ainda hoje presentes quer na arquitetura, quer nas tradições culturais. 

Música sacra e biodiversidade 
O festival de música sacra ‘Terras sem Sombra’ passa por oito localidades de 11 de fevereiro a 1 de julho. Os concertos são aos sábados, sempre em monumentos, e ao domingo há ações de voluntariado para a salvaguarda da biodiversidade. Almodôvar, Sines, Santiago do Cacém, Ferreira do Alentejo, Odemira, Serpa, Castro Verde e Beja recebem o evento.
Alentejo região turismo gastronomia hotelaria
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)