Barra Cofina

Correio da Manhã

Boa Vida
8

Chicago: a cidade que arranha os céus

A maior cidade do estado de Illinois oferece uma agenda cultural intensa e variada, e vistas de cortar a respiração.
Catarina Figueiredo 18 de Agosto de 2019 às 16:00
Chicago
Chicago
Chicago
Chicago
Chicago
Chicago
Chicago
Chicago
Chicago
Chicago
Chicago
Chicago
Chicago
Chicago
Chicago
Elegante, moderna, sofisticada, limpa e acolhedora: Chicago é isto tudo e muito mais. Considerada por muitos como a ‘Nova Iorque negra’, a maior urbe do estado norte-americano de Illinois é parte da história de personagens lendárias como o gangster Al Capone, o antigo jogador da NBA Michael Jordan (seis vezes campeão pelos Chicago Bulls) e o ex-presidente dos EUA, Barack Obama.

A cidade é imponente na sua arquitetura, e deixa boquiaberto qualquer um que a visite e observe os edifícios gigantes que arranham os céus de uma forma alinhada e quase poética. Mas nem só dos feitos arquitetónicos se ergue Chicago, que conta com uma agenda cultural bastante completa.

O Art Institute of Chicago é um dos museus mais importantes dos Estados Unidos – tem uma coleção de mais de 300 mil peças. O Millenium Park é outro dos pontos imperdíveis da cidade, que convida a passeios matinais ou à hora do pôr do sol, a uma sessão de cinema ao ar livre ou a assistir a um concerto gratuito, naquele que é o maior pulmão da cidade.

A Cloud Gate, uma escultura de aço em forma de feijão que reflete a paisagem urbana de Chicago, é a atração mais famosa do parque. Diariamente são milhares os turistas que se aproximam para tirar uma selfie, ou apenas para apreciar a obra de arte.

Chicago oferece a quem a visita uma panóplia de restaurantes de alta cozinha, alguns deles sediados no Loop, a baixa da cidade, onde é possível desfrutar de uma refeição com uma vista de cortar a respiração.

No entanto, quem visita esta metrópole não pode deixar de provar a Deep Dish, o prato tradicional da cidade que consiste numa pizza alta, a fazer lembrar uma quiche, com um recheio à base de queijo e tomate, ideal para matar a fome no final de um longo passeio por Chicago. Quando a noite cai, nada melhor do que assistir a um espetáculo de jazz ou blues num dos vários rooftops da cidade, enquanto desfruta de um gin.

PARA IR
A partir do passado mês de junho tornou-se possível viajar para Chicago, sem escalas, a partir do Aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa. O voo de ida, que tem a duração de nove horas, parte às 13h05 (hora portuguesa) e chega às 16h05 (hora local) ao Aeroporto de Chicago O’Hare, que fica a cerca de uma hora do centro da cidade. No regresso, os voos da TAP partem às 18h05 (hora local) e aterram às 07h50 do dia seguinte, na hora portuguesa, após um voo de 07h45. Os voos contam com wi-fi a bordo e custam cerca de 600 €.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)