Barra Cofina

Correio da Manhã

Boa Vida
9

Coimbra tem sempre encanto

Os estudantes e a universidade continuam a marcar o ritmo da cidade, mas há novas ideias e conceitos que vale a pena conhecer junto ao Mondego.
Gonçalo Silva 5 de Abril de 2017 às 11:00
Vista geral da cidade de Coimbra
Universidade de Coimbra
As famosas serenatas de Coimbra
Zé Manel dos Ossos
Casa das Artes
Jardim da Sereia
Arcos do Jardim
Mosteiro de Santa Cruz
Café Santa Cruz
Machado de Castro
Trouxa Mocha
O hotel de charme The Luggage
Mosteiro de Santa Clara
Lucky Lux
Vista geral da cidade de Coimbra
Universidade de Coimbra
As famosas serenatas de Coimbra
Zé Manel dos Ossos
Casa das Artes
Jardim da Sereia
Arcos do Jardim
Mosteiro de Santa Cruz
Café Santa Cruz
Machado de Castro
Trouxa Mocha
O hotel de charme The Luggage
Mosteiro de Santa Clara
Lucky Lux
Vista geral da cidade de Coimbra
Universidade de Coimbra
As famosas serenatas de Coimbra
Zé Manel dos Ossos
Casa das Artes
Jardim da Sereia
Arcos do Jardim
Mosteiro de Santa Cruz
Café Santa Cruz
Machado de Castro
Trouxa Mocha
O hotel de charme The Luggage
Mosteiro de Santa Clara
Lucky Lux
O título de Património Mundial da Humanidade, atribuído em 2013 pela UNESCO à Universidade de Coimbra, zona histórica da Alta e rua da Sofia, impulsionou o número de visitantes na cidade do Mondego.

Numa altura em que o turismo bate recordes no País, Coimbra é uma das referências mais procuradas na região Centro.

A cidade alia a história ao contemporâneo e apresenta encantos únicos que marcam quem a visita. Há vários espaços novos para conhecer e outros que, pela história, beleza e relevância merecem uma visita atenta e demorada.

Um roteiro por locais emblemáticos deixa uma certeza: Coimbra deixa mesmo saudades na hora da despedida. 

Estudo e turismo no mesmo espaço 
Universidade - É a mais antiga instituição universitária portuguesa e durante séculos foi a única universidade em Portugal. Fundada em 1290 pelo rei D. Dinis, em Lisboa, foi transferida para Coimbra em 1537. A instituição não atrai apenas estudantes. Os turistas também podem conhecer os mais emblemáticos espaços. É possível visitar a Sala dos Grandes Atos, a Sala do Exame Privado e a Sala das Armas. A Porta Férrea marca a entrada no Paço das Escolas. A Capela de São Miguel e a Torre da Universidade são visitas obrigatórias. A capela continua a ser usada para o culto. No verão é possível subir à torre. A Biblioteca Joanina conta com mais de 40 mil livros de áreas distintas e tem uns ‘protetores’ especiais - colónias de morcegos defendem os livros dos insetos. O bilhete para visitar os espaços da universidade varia entre os 7 e os 20 euros.

Prisão académica - Desde a fundação que a universidade teve como privilégio um código judicial próprio, distinto da Lei Geral do Reino. Estavam subordinadas a ele todas as pessoas ligadas à instituição. Esta autonomia permitia à universidade ter juiz – o reitor -, polícia académica e prisão. A prisão académica é a única cadeia medieval existente no nosso país e é visitável.

Ouve-se o fado escondido da lua
Fado - As famosas serenatas saíram da rua e há cada vez mais locais onde é possível assistir ao fado de Coimbra. O Fado ao Centro é um dos espaços mais mediáticos e reconhecidos. Apresenta todos os dias, pelas 18h00, um espetáculo de fado de Coimbra ao vivo. Dada a elevada procura, aconselha-se a reserva antecipada. A casa fica na rua do Quebra Costas e o bilhete custa 10 euros. Também dedicado ao fado, o À Capella - que funciona numa antiga capela - merece uma visita.

Quebra Costas -  A entrar na rua do Quebra Costas, pela baixa, fica o Arco de Almedina e o Núcleo da Cidade Muralhada. Também conhecido como porta de Barbacã, era o principal acesso ao interior da muralha medieval, que fazia parte do sistema defensivo de Coimbra. O Núcleo da Cidade Muralhada pretende, através da reconstituição da estrutura defensiva da cidade, mostrar como era Coimbra medieval.

Vamos petiscar  
Zé Manel dos Ossos - Os petiscos são uma tradição. No Zé Manel dos Ossos destacam-se os ossos com sabores picantes. Situado em plena baixa, o espaço ganhou reputação além-Mondego. A fama da casa vem de longe e largas gerações de estudantes passaram por ali. Nas paredes ainda guarda desenhos e mensagens dos clientes.

Cultura diversa 

Casa das Artes

Foi inaugurada no final de 2010, na avenida Sá da Bandeira, e é hoje um espaço de cultura incontornável na cidade. Matinés, workshops, sessões de cinema, debates e mercados são alguns exemplos da irreverência e dinâmica da Casa das Artes. A agenda está sempre preenchida e vale uma visita. O site condominiocriativo.pt mostra as novidades diárias que se vão realizando neste espaço.

Jardim da Sereia
Foi uma obra idealizada e construída no tempo de D. João V, já foi conhecido como Parque da Quinta de Santa Cruz e é hoje, para todos, o Jardim da Sereia. Um dos parques verdes da cidade que conta com lagos, tanques, canteiros e elementos decorativos - como os painéis de azulejos e estátuas. Localizado junto à Praça da República, zona central da cidade, a entrada é gratuita e nos lagos é possível observar peixes. Um lugar tranquilo, perto do rebuliço da zona da Praça, onde a natureza impera.

Arcos do Jardim
O Aqueduto de São Sebastião (ou Arcos do Jardim), situado em frente ao Jardim Botânico da Universidade de Coimbra, foi outrora um aqueduto romano, que servia para abastecer a Alta com água de variadas nascentes. Hoje faz parte das vivências da cidade. Ao chegar à Alta universitária é impossível não reparar nele. Estende-se até à zona das faculdades e é diariamente ponto de passagem de centenas de estudantes. Em maio, na altura da Queima das Fitas, é onde se concentram os ‘doutores’ e familiares na maior festa académica do País. Nas imediações há inúmeros bares e pontos de diversão noturna. Algumas repúblicas da cidade - espaços míticos da vida académica, com regras específicas entre os estudantes que as habitam - ficam localizadas nas imediações, assim como as escadas monumentais, outro símbolo da cidade dos estudantes.

Museu da Ciência
O Museu da Ciência da Universidade de Coimbra é um espaço interativo que pretende proporcionar aos visitantes de todas as idades um ambiente de entretenimento para, assim, descobrirem a ciência. Dá a conhecer o mundo da ciência a partir de coleções de instrumentos científicos pertencentes à universidade de Coimbra. A exposição permanente ‘Segredos da Luz e da Matéria’ ilustra a história da ciência através do contacto com objetos, experiências interativas e suportes multimédia. A Galeria de Zoologia está aberta a visitas aos sábados de tarde e é uma oportunidade para ver um espaço de coleção de animais taxidermizados e esqueletos de alguns já extintos. Funciona de terça a domingo e o bilhete normal custa cinco euros. O bilhete geral para visitar os espaços da universidade permite também a entrada no museu.

Mosteiro de Santa Cruz
Na baixa da cidade, o Mosteiro de Santa Cruz é ponto obrigatório da visita. Fundado em 1131 pela Ordem dos Cónegos Regrantes de Santo Agostinho, é um dos melhores exemplos de arquitetura românica do século XII em Portugal. D. Afonso Henriques e D. Sancho I, primeiros reis de Portugal, repousam na capela-mor da igreja, o que lhe vale o título de Panteão Nacional.

Café Santa Cruz
É um marco da história de Coimbra. Situado em plena Praça 8 de Maio, o café Santa Cruz integra todos os roteiros internacionais e é ponto de passagem obrigatória para quem visita a cidade. Não deixe de provar o crúzio. Um doce de amêndoa com creme de ovo, com raízes monásticas, baseado numa antiga receita conventual. Só se vende no café Santa Cruz.

Machado de Castro
O Museu Nacional de Machado de Castro, na zona alta da cidade, está completamente renovado e e afirma-se como uma referência museológica nacional. Direcionado para a arte sacra, conta com um espólio composto por milhares de peças de escultura, pintura, cerâmica, ourivesaria e têxteis. O museu está instalado no antigo Paço Episcopal, construído sobre o criptopórtico romano datado do século I. Ao primeiro domingo de cada mês a entrada é grátis.

Trouxa Mocha
O Trouxa Mocha é uma loja que oferece ao visitante peças elaboradas em oficinas tradicionais, que captam a identidade lusa. Comprar uma boina, umas botas, roupa ou objetos de decoração com um toque e qualidades únicas é possível nesta loja do centro histórico. No Quebra Costas, rua no centro histórico, a animação é garantida. Vários restaurantes e espaços comerciais agitam os dias e promovem o tradicional e o moderno. A subida, entre ruelas, leva o visitante até à alta da cidade, com muitos recantos para explorar.

Mata do Choupal
É um dos maiores e mais simbólicos espaços verdes da cidade. Associada às serenatas e à boémia estudantil, a Mata do Choupal vale uma visita. Tem um circuito de manutenção, recintos de jogos e zona de merendas. É o local ideal e de eleição para a prática de desporto ao ar livre pelos conimbricenses. Conta com percursos e equipamentos de manutenção ao longo dos trilhos para treinos mais específicos. No local há um pequeno café que complementa a oferta. O parque abriga animais de várias espécies e conta com árvores de grande porte.

A nova vida da margem esquerda
Mosteiro de Santa Clara - A margem esquerda do Mondego, na zona de Santa Clara, tem ganhado uma nova dinâmica nos últimos tempos. Novos restaurantes, lojas e espaços comerciais cativam os visitantes. Para além do moderno, há espaços e património que vale a pena conhecer. Após uma intervenção arqueológica em grande escala e a valorização de todo o espaço, o Mosteiro de Santa Clara oferece ao visitante a possibilidade de fazer uma verdadeira viagem ao passado do monumento mandado edificar por D. Isabel de Aragão, em 1314. Dispõe de uma cafetaria com serviço de refeições e de uma loja com artigos de design exclusivo e réplicas arqueológicas. O bilhete custa quatro euros. Encerra às segundas-feiras.

Portugal dos Pequenitos - Ainda na margem esquerda, o Portugal dos Pequenitos é outro ponto de interesse. É um parque lúdico-pedagógico destinado essencialmente às crianças. Um retrato vivo da portugalidade e da presença portuguesa no Mundo que mostra aos visitantes as réplicas de vários espaços e casas. O bilhete de entrada normal tem o custo de 9,90 euros. O espaço abre todos os dias.  

Música ao vivo 
Convento de São Francisco - É o epicentro cultural da cidade. Recentemente aberto ao público, o Convento de São Francisco oferece espetáculos e atividades para várias idades. Conta com um conjunto de salas e auditórios com capacidade para cinco mil pessoas em simultâneo. Hoje, dia 31, pelas 22h00, recebe um concerto do músico Miguel Araújo.

Hostel de charme 
The Luggage - Situado no coração de Coimbra, num edifício histórico do início do século XX recentemente reabilitado, o The Luggage Hostel & Suites é uma opção para quem visita Coimbra. Conta com magníficas vistas sobre a cidade e está localizado numa zona classificada pela UNESCO como Património Mundial da Humanidade. Oferece alojamento desde os 17 €, dependendo da época do ano. A não perder.

Regressa o vinil e há serenatas
Lucky Lux - Na baixa da cidade, na rua Sargento Mor, o Lucky Lux é um espaço que se dedica à promoção cultural. Vende vinis, CD e DVD. A maioria dos álbuns é de pop/rock e os preços variam entre os 10 e os 15 euros.

Sé velha - A Sé velha é um dos edifícios em estilo românico mais importantes do País. A construção teve início em 1139. Todos os anos, em maio, a escadaria exterior recebe a serenata monumental, que abre a Queima das Fitas.


Coimbra férias destinos viagens
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)