Barra Cofina

Correio da Manhã

Boa Vida
8

Madrid é uma cidade cheia de luz

Capital espanhola tem uma boa rede de transportes públicos que permite visitar muito em pouco tempo.
Cláudia Machado 21 de Março de 2019 às 17:28
Madrid
Madrid
Madrid
Madrid
Madrid
Madrid
Madrid
Madrid
Madrid
Madrid
Madrid
Madrid
Madrid
Madrid
Madrid
Afirmar que uma cidade pode ser vista em três dias não deve ser tomado como uma ofensa ao seu potencial ou relevância histórica.

Significa antes que tudo funciona e se alinha no plano de viagem, com os transportes públicos bem oleados a reduzir distâncias, permitindo um fim de semana prolongado com uma farta lista de pontos de interesse visitados.

Assim é Madrid, capital de Espanha, a um pulinho de avião (a ligação a Lisboa demora pouco mais de uma hora). Se a sorte soprar dias de sol, dá gosto dispensar o metro e palmilhar as avenidas amplas do centro, como a Gran Vía, que deixam a luz do dia destacar a incrível arquitetura de muitos edifícios nobres.

E as tardes de céu azul pedem sempre algumas horas no parque do Retiro.

Os 110 tortuosos anos que contam a história de uma única catedral
Não se constrói uma catedral num dia, mas certamente que muitas gerações de madrilenos gostariam de poder dizer que também não são precisos 110 anos.

A primeira pedra da Catedral de Almudena foi lançada em 1883 e - com mudanças de planos, faltas de fundos e a guerra civil pelo meio - o templo só foi inaugurado em 1993. Foi consagrada pelo Papa João Paulo II, a 15 de junho desse ano.

Apesar da demora, os que agora a podem apreciar encontram um interior luminoso e colorido e ainda uma majestosa cripta.

Entre Picaso e Miró
Madrid guarda importantes coleções em museus que são, por si só, uma obra de arte. O Museu Rainha Sofía, perto do parque do Retiro, é exemplo disso.

Nos seus quatro andares, encontram-se algumas das obras primas mais célebres do século XX, de Pablo Picasso a Miró, passando por Salvador Dalí. ‘Guernica’, um painel criado por Picasso para o Pavilhão da República espanhola, na Exposição Universal de Paris (1937), prolonga-se na História como um manifesto contra a violência, num dos momentos mais sangrentos de Espanha, a braços com uma guerra civil que só terminou em 1939, e da Europa, às portas da II Guerra Mundial. 

Ficha de Viagem
Como ir
Há ligações diárias e diretas de Lisboa ou Porto para Madrid. O voo dura 1h15, o que permite aproveitar quase na totalidade o dia de chegada. Os preços rondam os 100 euros, mas as promoções são frequentes, com grandes descontos no custo.

Onde ficar
Os hotéis no centro da cidade, sobretudo na zona da Gran Vía, podem ser mais caros, mas a localização acaba por compensar.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)