Barra Cofina

Correio da Manhã

Boa Vida
3

Ovar, a cidade dos azulejos

Centro histórico é um verdadeiro museu vivo.
Nelson Rodrigues 4 de Dezembro de 2017 às 09:00
Monumento às varinas, na rotunda do Furadouro
Parque do Buçaquinho ganhou um prémio em 2016
Fachada da igreja de Válega, freguesia de Ovar
A praia do Furadouro é das mais conhecidas
A zona de Ovar é conhecida por ser uma terra de pesca
A arte Xávega é uma pesca artesanal feita com rede de cerco
O pão de ló é o rei dos sabores desta zona
Monumento às varinas, na rotunda do Furadouro
Parque do Buçaquinho ganhou um prémio em 2016
Fachada da igreja de Válega, freguesia de Ovar
A praia do Furadouro é das mais conhecidas
A zona de Ovar é conhecida por ser uma terra de pesca
A arte Xávega é uma pesca artesanal feita com rede de cerco
O pão de ló é o rei dos sabores desta zona
Monumento às varinas, na rotunda do Furadouro
Parque do Buçaquinho ganhou um prémio em 2016
Fachada da igreja de Válega, freguesia de Ovar
A praia do Furadouro é das mais conhecidas
A zona de Ovar é conhecida por ser uma terra de pesca
A arte Xávega é uma pesca artesanal feita com rede de cerco
O pão de ló é o rei dos sabores desta zona
Começou a ser construída em 1746 e demorou mais de um século a ser concluída. A Igreja Matriz de Válega, em Ovar, é um dos edifícios religiosos mais bonitos de Portugal.

Os exuberantes revestimentos em azulejo, interiores e exteriores, com motivos de origem bíblica, saltam à vista desta construção espaçosa e imponente. A parte frontal conta com uma torre integrada à esquerda. O altar principal, do século XVIII, merece destaque além da pia batismal, a peça mais antiga dos começos do século XVI, executada em pedra ançã.

No interior, sobressaem as intervenções do século XX, nomeadamente os vitrais e os tetos em madeira exótica. Os exuberantes revestimentos em azulejo são da Fábrica Aleluia, de Aveiro.

As ruas do centro histórico de Ovar contam com um conjunto de casas e prédios que saltam à vista - revestidos de azulejos coloridos dos séculos XIX e XX, como se de um verdadeiro museu vivo do azulejo se tratasse.

Ovar é um concelho com história, património e com uma extensão de agradáveis praias. O Furadouro, Esmoriz e Cortegaça são as mais populares. Mas há também areais desertos, para quem gosta de desfrutar de paz e sossego junto ao mar.

Ovar conta também com o Carnaval mais folião de Portugal - considerado como uma réplica do Carnaval do Brasil. Porém, há vareiros que afirmam que, por Ovar, a animação carnavalesca é única, com uma grande tradição.

Quem se apaixonou por Ovar foi o escritor Júlio Dinis, que redigiu no concelho parte dos livros ‘As Pupilas do Senhor Reitor’ ou ‘A Morgadinha dos Canaviais’, na sua passagem pela localidade, em 1863.

Ovar pode ser sinónimo de sustentabilidade. O Parque Ambiental do Buçaquinho foi premiado na categoria Cidades Sustentáveis no Green Project Awards 2016. Esta zona verde, considerada um verdadeiro paraíso, tem 24 hectares para serem explorados e visitados. Nesta zona, há seis lagos, jardins aromáticos, animais, um parque infantil e bicicletas.

Numa verdadeira cidade ligada à pesca não poderia faltar o peixe fresco e os mariscos. No entanto, o grande protagonista dos sabores desta região é mesmo o Pão de Ló de Ovar - com um interior cremoso e considerado por muitos como um acidente de cozedura do pão de ló tradicional.

Ovar praia do furadouro destinos destino viagens viagem azulejos centro histórico museu
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)