Barra Cofina

Correio da Manhã

Boa Vida
9

Seguir os passos de Rubens para conhecer cada canto de Antuérpia

A maior cidade da Flandres, no norte da Bélgica, é mais do que um local de passagem.
Cláudia Machado 6 de Dezembro de 2018 às 13:00
Seguir os passos de Rubens para conhecer cada canto de Antuérpia
Comércio de Diamantes em destaque por toda a cidade
Catedral de Nossa Senhora tem várias obras de Rubens
Estátua de Nello, um menino órfão, e Patrasche, o seu cão, conta uma história emocionante
Seguir os passos de Rubens para conhecer cada canto de Antuérpia
Comércio de Diamantes em destaque por toda a cidade
Catedral de Nossa Senhora tem várias obras de Rubens
Estátua de Nello, um menino órfão, e Patrasche, o seu cão, conta uma história emocionante
Seguir os passos de Rubens para conhecer cada canto de Antuérpia
Comércio de Diamantes em destaque por toda a cidade
Catedral de Nossa Senhora tem várias obras de Rubens
Estátua de Nello, um menino órfão, e Patrasche, o seu cão, conta uma história emocionante
‘Reza a lenda’ é uma expressão feita à medida de Antuérpia - a maior cidade da Flandres, na Bélgica, e a verdadeira e última morada de Peter Paul Rubens, destacado pintor flamengo. ‘Reza a lenda’ podia introduzir qualquer conversa graças às estátuas, fontes ou pequenos detalhes que enchem as ruas de histórias.

À frente da catedral, recheada de trabalhos de Rubens, encontramos a estátua de Nello, um menino órfão, e de Patrasche, o seu cão. Segundo o conto, os dois visitavam várias vezes a catedral para admirarem as pinturas de Rubens.

A história tem um fim trágico de morte, como muitos contos tinham na sua versão original. Mas a sua essência, dedicada à verdadeira amizade, mostra um lado bonito de Antuérpia que é preciso explorar por vários dias. 

A cidade que reclama o título de capital dos diamantes
Em Antuérpia há algo a que os olhos não conseguem escapar: dezenas e dezenas de montras cheias de diamantes, de todos os tamanhos e formatos, rodeados de ouro e prata.

Este é um dos maiores cartões de visita da cidade, que se apresenta como a capital mundial para o comércio destas pedras preciosas.

Tanto que até há um bairro inteiro onde se concentram estas lojas - o chamado ‘diamond district’. É estimado que cerca de 80% do mercado de diamantes em bruto passe por lá, assim como 50% das pedras lapidadas. 

A lenda pelas ruas
Reza a lenda que antuérpia era aterrorizada por Druon Antigoon. O gigante construiu uma barreira junto ao rio e exigia pagamentos a quem a atravessasse. Castigava os que falhavam as suas exigências cortando-lhes uma mão, que atirava para a água. Silvius Brabo, um soldado romano, pôs fim ao domínio do gigante.

Recusou pagar-lhe, enfrentou-o e cortou-lhe uma das mãos, atirando-a para o rio, dando-lhe a provar do próprio veneno. A lenda está na origem do nome da cidade, que em holandês é Antwerpen (da junção de hand, que significa mão, e werpen, que quer dizer atirar).

A história é recordada pelas ruas, com fontes e estátuas dedicadas ao herói.
Flandres Antuérpia Patrasche Peter Paul Rubens Bélgica Nello Druon Antigoon Silvius Brabo Antwerpen
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)