Barra Cofina

Correio da Manhã

Boa Vida
6

Rua das Flores, uma artéria do Porto cheia de vida

No Porto há uma rua onde todo o passado se modernizou.
Nelson Rodrigues 24 de Janeiro de 2019 às 18:26
Rua das Flores
Rua das Flores
Rua das Flores
Rua das Flores
Rua das Flores
Rua das Flores
Rua das Flores
Rua das Flores
Rua das Flores
Rua das Flores
Rua das Flores
Rua das Flores
Rua das Flores
Rua das Flores
Rua das Flores
Rua das Flores
Rua das Flores
Rua das Flores
É impossível caminhar pela rua das flores de forma apressada, uma vez que não faltam motivos para uma observação cuidada. Localizada no centro do Porto, a artéria é marcada pela arquitetura dos edifícios com as suas varandas típicas, os azulejos e as casas com flores.

Há meia dúzia de anos esta era uma rua conhecida na cidade por ter dezenas de ourivesarias. Neste passado bem recente estava quase no esquecimento. Era fria e escura. Porém, atualmente, já são poucas as lojas de venda de ouro e tudo se modernizou, sendo esta uma rua considerada como a dos artistas. Há música, exposições e todo o género de lojas.

Aqui tudo ganhou vida. Quem visitar o Porto não pode, de forma alguma, deixar de passar pela rua das Flores. Veja tudo com calma e deixe-se contagiar pelo ambiente.

‘Oh morcom, bai-me à loja’ ou a arte urbana bem viva

se percorrer a rua das FLORES vai, com toda a certeza, reparar que de um lado e de outro há várias caixas, ou pequenos muros, junto aos edifícios com expressões típicas da cidade do Porto e que são exemplos de arte urbana espalhados pela Invicta.

‘Este é fino como o alho’; ‘Oh mor, isto não é para alapar’ e ‘Oh morcom bai-me à loja’ são algumas das expressões que podem ser encontradas nesta rua, que tem muitas e grandes histórias para contar.

A rua das Flores foi construída em 1521, no reinado de D. Manuel, num espaço onde existia a horta do bispo da cidade, à época D. Pedro Álvares da Costa. O nome da artéria provém mesmo das viçosas hortas, recheadas de vivas flores, que existiam naqueles terrenos. Durante algum tempo foi conhecida como a rua de ‘Santa Catarina das Flores’.

Desde cedo que este local abrigou casas aristocráticas onde moravam os principais comerciantes e pessoas ricas da cidade do Porto. Muitas casas eram de famílias tradicionais portuenses.

Anos e anos passaram e hoje esta é a rua das artes, fazendo parte do mapa de arte urbana do Porto, que voltou a crescer com várias intervenções em espaços públicos. Na paisagem urbana da cidade destaque para um conjunto de trabalhos artísticos em caixas de distribuição de energia que homenageiam o cidadão anónimo e a cidade de todos - tal como é possível ver na rua das Flores.

Estas caixas, ou muros, fazem muito sucesso na cidade e são mais um dos pontos de atração da rua das Flores, a rua da moda.

Um ‘páteo’ repleto de bons petiscos
petiscos. muitos e bons petiscos. É isso que se pode encontrar neste wine bar que fica localizado no número 135. Ideal para provar um bom petisco num final de tarde, após um longo e cansativo dia de trabalho.

Quem passa na rua não fica indiferente e a tendência é a de entrar e espreitar. Este é um local descontraído mas requintado. No Páteo das Flores, os petiscos podem ser acompanhados por mais de uma centena de vinhos - a grande maioria da região do Douro vinhateiro.

O espaço foi inaugurado no início de 2017 e é composto por mesas redondas dispostas num pátio onde luz natural não falta devido à cobertura de vidro.

Encontrar o presente ideal para surpreender
Conhece alguém com um gosto mais aprimorado e procura um presente ideal? Na Toranja há todo o género de objetos com arte e ideais para oferecer à pessoa especial mas que é difícil de surpreender. No n.º 109.

História e coleções de arte
O museu da misericórdia do porto (MMIPO) encontra-se em pleno centro histórico do Porto e no final da rua das Flores (para quem desce), num edifício que foi sede da instituição a partir de meados do século XVI até 2013.

Ao longo dos séculos o edifício sofreu várias alterações, sendo a mais recente a sua adaptação para funções museológicas.

O museu apresenta-se com o duplo objetivo de dar a conhecer a história da Santa Casa da Misericórdia do Porto e os seus propósitos institucionais, bem como divulgar as suas coleções de arte através da disponibilização de um conjunto de recursos que traduzem a memória e a identidade desta organização.

Com nova cara e arte espalhada por todo o lado
a rua das flores liga a estação de São Bento ao largo de São Domingos. Durante todo o percurso pela artéria, que ao longo dos últimos anos.

tem surgido com uma cara nova e muitas novidades, há diversas atrações, em particular proporcionadas por artistas que expõem o seu trabalho pelas paredes. Para além das pinturas há, também, cantores que mostram o seu talento a todos aqueles que percorrem o caminho. 

Gato da cidade entre prédios
Na rua mais pequena do Porto, a rua de Afonso Martins Alho (transversal às Flores), pode apreciar-se o enorme gato criado pelo artista galego LIQEN. Intitulado ‘Perspéntico’, representa o Porto como cidade em movimento.

Uma casa preenchida com doces ‘Memórias’
Este é um espaço aberto desde 2001 que maravilha quem passa à porta. A loja Memórias, de venda de artesanato, é uma autêntica casa de fadas com exemplares alusivos ao passado e que primam pelo requinte.

Neste local, que faz as delícias dos turistas, só é vendido artesanato produzido em Portugal. Por aqui tudo é confecionado por um grupo de diversos artesãos nacionais. Fica no número 18.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)