Barra Cofina

Correio da Manhã

Boa Vida
5

Zurique: do centro da cidade ao topo da montanha em meia hora

A partir de Uetliberg, a mais de 800 metros de altura, a cidade suíça conquista com os seus contrastes.
Cláudia Machado 29 de Novembro de 2018 às 17:39
Cataratas impressionam pela dimensão e pelo som da água, ouvido mesmo antes do primeiro relance
Para os mais aventureiros há passeios de barco
Visite também o parque em Oerlikon, no norte de Zurique
Cataratas impressionam pela dimensão e pelo som da água, ouvido mesmo antes do primeiro relance
Para os mais aventureiros há passeios de barco
Visite também o parque em Oerlikon, no norte de Zurique
Cataratas impressionam pela dimensão e pelo som da água, ouvido mesmo antes do primeiro relance
Para os mais aventureiros há passeios de barco
Visite também o parque em Oerlikon, no norte de Zurique
De todos os cartões de visita da suíça, a excelente rede de comboios que cobre cada canto do país é o primeiro a merecer todos os elogios.

À velocidade de um comboio moderno e confortável, tão depressa estamos no coração de Zurique, a maior cidade, como no topo de Uetliberg, arrebatados pelos recortes montanhosos que fazem de moldura à vida da cidade. No topo desta montanha, ao qual se chega após uma viagem de cerca de 20 minutos de comboio e outros 10 de caminhada (moderada e com piso acessível), podemos sempre chegar um pouco mais alto graças a uma torre que serve de miradouro.

Custa dois francos suíços, algo como 1,75 euros, acrescentar ao campo de visão mais 72 metros, além dos já incríveis 870 da montanha.

Um pulo ao léman
Reservar um dia para visitar lausanne e o maior lago da europa ocidental é quase obrigatório. A cidade e o lago Léman estão a pouco mais de duas horas de Zurique, de comboio, numa viagem que se faz com conforto e que permite ver o país quase de uma ponta à outra.

Chegando de manhã, a melhor opção é começar a descer em direção ao lago, porque a subida de regresso ao centro da cidade é íngreme e abrirá o apetite para uma refeição. É também uma oportunidade de estar na Suíça e ‘deitar um olhinho’ a França, logo ali na outra margem do lago. Depois, prepare as pernas para subir as Escadas do Mercado e, logo de seguida, visite a catedral.

Cataratas com 14 a 17 mil anos marcam o maior rio da Suíça
Provar fondue
Em Zurique há um restaurante italiano a cada esquina, mas não pode deixar de provar o típico fondue, servido no Swiss Chuchi.

Saborear chocolate
Depois do queijo é impossível escapar ao chocolate suíço. Em cada canto, uma loja com montras tentadoras, repletas de bombons.

Perder-se a caminhar
Acompanhe o rio Limmat, que atravessa o centro da cidade, e caminhe até ao início do lago de Zurique. Ideal para o final do dia.

FICHA DE VIAGEM
Como chegar

Zurique tem um aeroporto a cerca de 12 quilómetros do centro da cidade, com voos diretos de Lisboa e do Porto realizados diariamente por várias companhias, como a TAP e a easyJet.

Onde ficar
Para quem não quer ficar apenas pelo centro de Zurique, a melhor opção é ficar instalado num dos muitos hotéis junto à estação central de comboios, como o Hotel Montana Zürich.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)