Barra Cofina

Correio da Manhã

Boa Vida
8

Conheça algumas soluções para perder peso

Excesso de peso e obesidade podem dar origem a vários problemas de saúde.
Francisca Genésio 11 de Abril de 2019 às 01:30
A carregar o vídeo ...
Excesso de peso e obesidade podem dar origem a vários problemas de saúde.
Os ‘quilinhos a mais’ são um problema que incomoda, regra geral, toda a população. O excesso de peso pode levar a várias doenças.

Atualmente existem várias soluções no mercado, não só para combater os ‘quilinhos a mais’, mas também a obesidade, uma doença multifatorial. Marisa Oliveira Marques tinha 17 anos quando foi mãe.

Durante a gravidez engordou 50 quilos. "Antes de engravidar pesava cerca de 67 quilos, que era um peso normal. Quando dei por mim estava a pesar 140 quilos", contou ao CM Marisa Oliveira Marques, assistente social e presidente da Associação Portuguesa dos Bariátricos.

Nesta altura, já tinha muitas doenças associadas à condição física, desde hipertensão a dores nas costas. Mas o ‘clique’ de fazer algo por si só surgiu quando um dia tentou acompanhar o filho num parque de diversões. "Ele queria andar mas só podia fazê-lo acompanhado. Eu tentei, mas não cabia nas cadeirinhas", conta.

A primeira intervenção cirúrgica que fez, em 2003, foi colocar uma banda gástrica - dispositivo colocado em redor da parte inicial do estômago, que limita a quantidade de comida que o paciente consegue ingerir. "Nessa altura, consegui chegar aos 80 quilos, mas voltei a engordar porque não houve qualquer mudança de hábitos, trata-se de uma cirurgia obsoleta", explica a assistente social.

Em 2014 decidiu submeter-se ao bypass - criação de uma pequena bolsa gástrica e ligação ao intestino delgado. "A minha vida mudou completamente. Já passaram cinco anos e neste momento peso cerca de 70 quilos. Sinto-me muito mais feliz e confiante", confessa Marisa Oliveira Marques.

Despedida por não conseguir emagrecer
Michelle Sampaio, jornalista brasileira, foi despedida da TV Globo por não conseguir emagrecer. A revelação foi feita pela própria nas redes sociais. "Nesses últimos dois anos, por estar acima do peso, fiquei um bom tempo trabalhando nos bastidores.

Cheguei a emagrecer um pouco, mas saí do ‘vídeo’ novamente porque de facto nunca voltei ao peso antes da gravidez, que foi o pedido da emissora", escreveu Michelle Sampaio.

Pacientes têm de tomar vitaminas
Depois de realizada uma cirurgia bariátrica, os pacientes não conseguem absorver, como anteriormente, alguns tipos de vitaminas. Esta situação está diretamente relacionada com a alteração anatómica do estômago e do intestino.

O défice de vitaminas e minerais tem de ser obrigatoriamente resolvido já que pode levar a alterações na pele, por exemplo. A maioria dos especialistas recomenda aos pacientes a toma de suplementos.

Alguns têm de o fazer durante um período de tempo específico, após a operação, outros têm de o fazer para toda a vida. "Todos os dias tenho de tomar um comprimido com vitaminas, mas isto não é nada comparado com o benefício, em termos de saúde e qualidade de vida que já tive", refere Marisa Oliveira Marques.

Outra mudança na vida das pessoas submetidas a este tipo de operações tem que ver com a quantidade de goles de água, por exemplo, que podem dar. "Como o nosso estômago fica mais reduzido, não podemos beber muita água de seguida", explica Marisa Oliveira Marques.

Sexualidade melhora depois da operação
Marisa Oliveira Marques contou ao Correio da Manhã que os benefícios da cirurgia bariátrica "são mais do que muitos", dado que "até a vida sexual é diferente, muito melhor".

Benefícios da apobari para os pacientes
A Associação Portuguesa dos Bariátricos (APOBARI) foi criada por Marisa Oliveira Marques. A instituição ajuda doentes obesos. Em alguns casos, os pacientes-sócios têm descontos em cirurgias.

"Sempre mantive o mesmo aspeto", diz Fátima Lopes
Aos 54 anos, Fátima Lopes revela que a alimentação nunca foi uma dor de cabeça, antes pelo contrário. "Milagres não existem. Tenho um pouco de sorte porque não tenho tendência para engordar. Mas tenho vários cuidados. Não como doces nem fritos e evito ‘fast food’.

Posso dizer que nunca fiz dietas na minha vida. Os excessos nunca fizeram parte da minha alimentação, por isso o estranho é tê-los em algumas ocasiões", explica ao CM.

A estilista portuguesa conta que nunca recorreu à cirurgia estética para cuidar da silhueta: "Sempre mantive o mesmo aspeto físico. Tenho horror a agulhas. Acho que muito dificilmente poderei recorrer a esses tratamentos. Mas não tenho nada contra. Prefiro tratamentos naturais. Faço massagens de relaxamento e outras mais específicas a outras zonas do corpo", acrescenta.

A par dos cuidados com a dieta, Fátima explica que o exercício físico é o seu maior aliado. "Pratico desde sempre. Preocupo-me durante o ano inteiro com o meu bem-estar. É o meu dia a dia. Isso também me ajuda a sentir bem."

PORMENORES
Sleeve gástrico é opção
O sleeve gástrico é também uma opção de cirurgia bariátrica. Consiste na redução do tamanho do estômago, transformando-o num tubo estreito. É considerado menos invasivo do que o bypass e mais seguro do que a banda gástrica .

Redução pela boca
O Método Apollo é uma das mais recentes armas no combate à obesidade. A intervenção (endoscopia) permite reduzir o estômago através da boca, sem necessidade de operação. A redução é feita através de pequenas suturas (costuras) nas paredes internas do estômago.

Tratamentos estéticos
Associados à cirurgia para perder peso surgem muitos tratamentos estéticos. Remoção da pele e gordura em excesso nos braços e coxas e barriga, tratamento da flacidez, redução da celulite são alguns dos mais populares. São sobretudo as mulheres quem mais recorre a este tipo de soluções, revelam os especialistas.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)