Barra Cofina

Correio da Manhã

Boa Vida
4

C-Studio é a marca que representa a área de Conteúdos Patrocinados do Universo Cofina. É o local onde as marcas podem contar as suas histórias e experiências.

Sabe bem, faz bem! #sabebemfazbem

Verão, mariscos e companhia

O marisco continua na crista da onda dos cenários de verão. Inspire-se nas receitas que trazem o melhor do mar para o seu prato.
12 de Agosto de 2019 às 15:26

Há tradições que não perdem o seu vigor. Uma delas é a mariscada com os amigos, em tardes quentes que se prolongam pela noite dentro, numa celebração ao verão. Do camarão, ao gambão ou ao mexilhão, são muitos e bons os mariscos e bivalves que temos à disposição. Vamos conhecê-los melhor e colher inspiração em receitas que sabem a mar.

Verdade ou mito?

Ditava a crença popular que o marisco, em especial os bivalves, só se deviam comer nos meses com ‘r’. Hoje sabemos que em certas alturas do ano as algas de que se alimentam os bivalves contêm substâncias que podem apresentar risco para a saúde. Mais do que seguir a regra da letra presente nos meses do ano, há que estar atento às recomendações das autoridades de saúde que monitorizam e determinam as épocas de apanha e comprar só em estabelecimentos de total confiança, como o Pingo Doce.

Chamar o "marisco" pelos nomes

Tratamo-los a todos por "marisco", mas gostam de ser chamados pelo nome da sua classe: os crustáceos (camarão, gambão, lagosta, santola, sapateira) têm o corpo coberto com uma carapaça que vai sendo substituída ao longo da vida. Os moluscos bivalves (mexilhão, amêijoa, ostra, vieira, berbigão, percebes) estão protegidos por duas conchas e os univalves (búzios) apenas por uma.

Estes tesouros do mar são uma verdadeira delícia com grande valor nutricional. Além de apetitosos, são parcos em gordura mas têm proteínas de alto valor biológico, vitamina B12 (entre outras) e minerais, tal como o selénio.

Frescos e bem conservados

Quando comprar esteja atento à frescura

• A carapaça dos crustáceos deve estar intacta, o cheiro agradável e as patas não devem estar desmembradas.

• A concha dos bivalves deve estar fechada. Se estiverem entreabertos e ao bater com um dedo se fecharem, é porque são frescos. Têm cheiro a maresia e a carne é firme e elástica.

• Ao comprar a amêijoa vietnamita Pingo Doce, controlada em todas as etapas do processo de produção, compra toda a qualidade e segurança alimentar.

Conservar é fundamental

• Os crustáceos conservam-se no frigorífico (cobertos com um pano húmido) ou no congelador. Consuma-os no dia da compra.

• Os bivalves conservam-se um ou dois dias no frigorífico. Pode congelar e, quando descongelar, disponha-os num recipiente com água.

Preparação, quanto mais simples melhor!

Não são precisos muitos molhos nem abusar da manteiga para fazer o marisco reinar à mesa. Saiba como:

• Os crustáceos cozem em água a ferver, simples ou aromatizada com alho, cebola ou salsa. Se comprar camarão congelado, o truque para o cozer e lhe dar cor está aqui.

• A lagosta e as gambas ficam deliciosas quando cortadas ao meio, grelhadas e pinceladas com manteiga. Evite cozinhá-las demasiado para que não endureçam e percam sabor.

• Mergulhe os bivalves em água fresca para eliminar a areia. Verá que fazem todo o trabalho sozinhos! Pode saboreá-los crus (como as ostras que só precisam de sumo de limão) ou cozinhados (nunca em demasia, para não alterar a textura e o sabor). Lembre-se de rejeitar sempre as amêijoas, mexilhão ou berbigão que não abrem depois de cozidos.


Quem não marisca não petisca

Entre percebes, amêijoas e camarão, gostamos  dos tradicionais petiscos que se comem à mão (disfarçadamente, até se lambem os dedos), enquanto refrescamos a alma e convivemos em boa companhia.

A marcar a diferença neste verão, um toque exótico de paragens distantes. Com um cheirinho da Índia, os mexilhões com molho de caril não dispensam um hábito bem português: o pão para molhar no molho, claro!

Ao mexicano guacamole, de tão familiar que se tornou, já dizemos ‘mi casa es tu casa’! Então façam o favor de entrar os camarões panados com guacamole e os  cestos de camarão com guacamole, num desfile de delícias que promete não desapontar.


Jantar rápido e cheio de sabor

Só precisa de 15 minutos para preparar uma massa linguini com salteado de camarões, molho de laranja e bimis e o jantar em família vira uma festa de sabor.

Hoje é dia de não perder mais do que 30 minutos na cozinha. A boa notícia: vamos comer marisco!

Em 30 minutos apenas se cozinha uma frittata de gambão, que não precisa de mais do que uma boa salada a acompanhar, ou um delicioso gambão no forno com arroz de salsa. Verão e férias são isto mesmo!


Sem pressa, em boa companhia

Os bons momentos cozinham-se em lume brando, à semelhança dos nossos pratos tradicionais, como a cataplana do mar. É à mesa, em boa companhia, que se saboreia o melhor da vida.

Se procura uma receita com efeito "uau", mas fácil e rápida de preparar, o caril de gambas com quiabos deixa qualquer um de boca aberta.

Tem o camarão pronto a cozinhar mas falta-lhe inspiração para dar vida a um prato como aqueles que vê nas redes sociais? É hora de mostrar ao mundo o agridoce de camarão com ananás e arroz basmati servido na casca do fruto.

Boas mariscadas, onde quer que esteja!

gastronomia marisco verão comida receitas Pingo Doce

Mais Noticias de Sabe Bem

Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)