Barra Cofina

Correio da Manhã

Boa Vida
2

Azeite da Quinta da Lagoalva é feito com azeitonas de olivais com 200 anos

Olival plantado pelo 2º. duque da Palmela.
Edgardo Pacheco 3 de Julho de 2018 às 22:20
Quinta da Lagoalva de Cima
Quinta da Lagoalva de Cima
Quinta da Lagoalva de Cima
Quinta da Lagoalva de Cima
Quinta da Lagoalva de Cima
Quinta da Lagoalva de Cima
Quinta da Lagoalva de Cima
Quinta da Lagoalva de Cima
Quinta da Lagoalva de Cima
Se é certo que os azeites frutados verdes são os mais cobiçados no mercado por serem, em termos de sabores e aromas, mais desafiantes, isso não significa que um azeite com notas suaves e maduras tenha menos interesse. De resto, em termos de concursos, têm o mesmo peso.

Por outro lado, os azeites suaves e maduros (muito ao gosto no centro e sul do País) são indicados para determinados pratos, em particular os peixes cozidos e grelhados ou alguns cremes de vegetais.

Ora, este virgem extra Lagoalva, do Ribatejo, não só tem as catacterísticas vincadas de um azeite maduro, como tem a particularidade de ser criado a partir de um olival com a bonita idade de 200 anos e - mais curioso ainda -, feito com as variedades italianas Frantoio e Moraiolo, coisa que se deve a uma decisão do 2.º Duque de Palmela.

Nós por cá temos muitas variedades de azeitona, mas faz-nos bem conhecer aquela que é - a Frantoio - a variedade mais plantada num País que faz dos melhores azeites do Mundo (os que são feitos de forma honesta, claro).
Lagoalva País Moraiolo Ribatejo Duque de Palmela Frantoio Mundo bens de consumo
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)