Barra Cofina

Correio da Manhã

Boa Vida
3

'A Arte da Persuasão’: cartazes que ganharam guerras no Museu do Caramulo

Mostra conta com mais de 200 peças. Para ver até março de 2020.
Paulo Fonte(paulofonte@cmjornal.pt) 10 de Dezembro de 2019 às 17:00
Cartazes de guerra em exposição no Museu do Caramulo
Cartazes de guerra em exposição no Museu do Caramulo
Cartazes de guerra em exposição no Museu do Caramulo
Cartazes de guerra em exposição no Museu do Caramulo
Cartazes de guerra em exposição no Museu do Caramulo
Cartazes de guerra em exposição no Museu do Caramulo
Cartazes de guerra em exposição no Museu do Caramulo
Cartazes de guerra em exposição no Museu do Caramulo
Cartazes de guerra em exposição no Museu do Caramulo
Cartazes de guerra em exposição no Museu do Caramulo
Cartazes de guerra em exposição no Museu do Caramulo
Cartazes de guerra em exposição no Museu do Caramulo
Cartazes de guerra em exposição no Museu do Caramulo
Cartazes de guerra em exposição no Museu do Caramulo
Cartazes de guerra em exposição no Museu do Caramulo
Cartazes de guerra em exposição no Museu do Caramulo
Cartazes de guerra em exposição no Museu do Caramulo
Cartazes de guerra em exposição no Museu do Caramulo
Cartazes, panfletos ou filmes de países intervenientes na II Guerra Mundial, como os EUA, Alemanha, Inglaterra, França, Itália, Japão ou União Soviética, num total de mais de 200 peças originais, integram a exposição temporária ‘A Arte da Persuasão’, patente no Museu do Caramulo, no concelho de Tondela, até março de 2020.

Esta é uma mostra que privilegia a propaganda sob o enquadramento de forma de arte que a mesma assumiu, cumprindo com o objetivo de qualquer outra obra de arte: provocar emoções e mudar o Mundo.

Mensagens estilizadas
Produzidos por ministérios e agências governamentais, pela resistência ou empresas privadas, o cartaz impresso foi a principal forma de propaganda, sobretudo pela facilidade de produção e de aplicação em qualquer local.

Permitiam que a mensagem estivesse sempre presente junto dos cidadãos e apelavam a que dessem, produzissem e se sacrificassem em prol do esforço de guerra. Eram a forma de propaganda mais democrática, chegando por igual a todas as pessoas.

Este meio de comunicação transmitiu a mensagem combinando ilustrações de teor emocional com mensagens de texto fáceis de decorar.

Enquanto na 1.ª Guerra Mundial eram mais artísticos e sombrios, a propaganda no conflito seguinte, em particular a partir de 1943, recorreu a mensagens de texto simples com imagens estilizadas para uma maior eficácia.

Inspiravam patriotismo e apelavam ao alistamento, o racionamento de comida ou o esforço na produção da indústria de guerra.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)