Barra Cofina

Correio da Manhã

Boa Vida
4

Festival de luz ilumina Faro em novembro

Edifícios vão estar ‘pintados’ de luz e as ruas iluminadas por dez obras. A programação do 365 Algarve aproveita as noites mais longas.
5 de Novembro de 2019 às 18:00
365 Algarve
O 365 Algarve pretende melhorar a experiência turística e a atratividade da região, através de uma oferta regular de programação cultural
O 365 Algarve pretende melhorar a experiência turística e a atratividade da região, através de uma oferta regular de programação cultural
365 Algarve
365 Algarve
365 Algarve
O 365 Algarve pretende melhorar a experiência turística e a atratividade da região, através de uma oferta regular de programação cultural
O 365 Algarve pretende melhorar a experiência turística e a atratividade da região, através de uma oferta regular de programação cultural
365 Algarve
365 Algarve
365 Algarve
O 365 Algarve pretende melhorar a experiência turística e a atratividade da região, através de uma oferta regular de programação cultural
O 365 Algarve pretende melhorar a experiência turística e a atratividade da região, através de uma oferta regular de programação cultural
365 Algarve
365 Algarve
No mês em que as noites são mais longas, o programa cultural 365 Algarve explora o que o escuro permite ver melhor, estrelas e planetas, com as dez obras de luz que se apresentam no LUZA - Algarve International Festival of Light e o Festival Out-(In)verno.

O festival de luzes algarvio, que decorre entre os dias 14 e 16, vai, desta vez, ter como palco a cidade de Faro. Os visitantes podem admirar obras de artistas nacionais e internacionais cuja matéria-prima é a luz. Serão expostas dez obras ao longo das ruas, o que permite ‘pintar’ edifícios e encher de luz a capital do Algarve.

O Festival Out-(In)verno propõe concertos, caminhadas, astronomia encenada e Astro Party, exposições e oficinas, num projeto que pretende assinalar o V Centenário da Circum-Navegação e elege a Astronomia como forma de o celebrar. Para ver de hoje a domingo em São Marcos da Serra, Silves.

Expressão artística
O mês não se esgota nestas duas atividades. O ciclo de programação parte de uma ideia de território enquanto paisagem à escala humana, "convocando para a expressão artística os gestos e as práticas tradicionais da região". Assim acontece em Medronho - Apanha, projeto do teatro na serra e nas destilarias do programa Lavrar o Mar.

Nos primeiros três dias do mês, o espetáculo, que acontece em Monchique, debruça-se na apanha do medronho, realizada em plena serra entre medronheiros, e explora o trabalho da colheita, fazendo uma incursão pelas canções e merendas.

Também em Monchique, agora no dia 10, acontece o segundo passeio e concerto de Em Canto pela Algarviana, intitulado A Festa da Castanha.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)