Barra Cofina

Correio da Manhã

Boa Vida
1

Petiscos e jazz no Bacchanal

Não faltam tábuas de queijos e enchidos para saborear com tempo.
Daniela Espírito Santo 15 de Maio de 2018 às 09:00
Petiscos e jazz no Bacchanal
Petiscos e jazz no Bacchanal
Petiscos e jazz no Bacchanal
Petiscos e jazz no Bacchanal
Petiscos e jazz no Bacchanal
Petiscos e jazz no Bacchanal
Petiscos e jazz no Bacchanal
Petiscos e jazz no Bacchanal
Petiscos e jazz no Bacchanal
Petiscos e jazz no Bacchanal
Petiscos e jazz no Bacchanal
Petiscos e jazz no Bacchanal
O Cais do Sodré, em Lisboa, não tem de ser, obrigatoriamente, uma zona só para dançar toda a noite. Pode também ser o sítio perfeito para um encontro entre amigos, com petiscos e bom vinho à mistura. É isto que propõe o novíssimo Bacchanal, um espaço de homenagem ao néctar dos deuses, um local privilegiado de celebração do vinho.

Há centenas de opções para experimentar, sendo que este bar tão ‘sui generis’ não tem propriamente uma carta para lhe mostrar: as garrafas estão todas expostas num armário antigo, reformado para fazer jus ao estilo vintage que pauta o espaço, e os clientes são convidados a passar os olhos pelas prateleiras e a escolherem o que pretendem provar.

As iguarias vínicas podem ser apreciadas a copo ou à garrafa, sempre acompanhadas por uns belos petiscos, como se quer.

No menu há tábuas de queijos e enchidos, mas a estrela é mesmo o presunto Pata Negra, que é cortado na hora, à frente do cliente.

Tudo isto num ambiente descontraído e relaxado, servido com jazz, foxtrot e blues, para saborear o tempo, que parece não passar por esta antiga mercearia transformada em bar alternativo à revelia das discotecas que o rodeiam, em plena rua dançante lisboeta.

Um espaço a visitar com calma, mas atenção, só tem capacidade para 14 pessoas. Fica na rua do Corpo Santo, 28.
Cais do Sodré Lisboa Bacchanal rua do Corpo Santo estilo de vida e lazer
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)