Barra Cofina

Correio da Manhã

C Studio
7
C-Studio
i
C- Studio é a marca que representa a área de Conteúdos Patrocinados do Universo
É o local onde as marcas podem contar as suas histórias e experiências.

Regresso às aulas com casas de banho renovadas

A escola vencedora do passatempo "Domestos nas Escolas" teve dois WC remodelados e conquistou a oportunidade de mudar os hábitos dos alunos, para melhor
13 de Setembro de 2019 às 10:03
A carregar o vídeo ...
Domestos nas Escolas - Manhã CM

É o culminar da iniciativa que pôs os portugueses a debater a higiene e o uso da casa de banho nas escolas públicas. O projeto "Domestos nas Escolas" concluiu com a intervenção em duas casas de banho na Escola Básica Navegador Rodrigues Soromenho, em Sesimbra. A escola conta agora com um WC feminino e um masculino equipados com tudo o que é essencial para uma boa higiene e utilização do espaço, que pode e deve ser usado por todos, sem receios.

Alunos, pais, professores e funcionários são unânimes: a intervenção foi muito bem-vinda. Agora, o ambiente que se vive na Escola é de grande felicidade e de agradecimento pelas alterações feitas.

"Tem tudo o que é preciso!" Quem o diz é Beatriz, uma aluna que frequenta o 9º ano na Escola Básica Navegador Rodrigues Soromenho, e que resume o sentimento de satisfação transversal a toda a comunidade escolar.

Lina Marçalo, que até ao final do ano letivo tinha dois filhos a estudar na escola – ficando apenas uma este ano – foi também aluna na Escola. Não visitava os WC desde essa altura e sintetiza: "Quando, antes da remodelação, entrei, fiquei muito surpreendida pela negativa."

Rapazes e raparigas frequentam diferentes casas de banho, mas as reclamações eram semelhantes: faltavam fechaduras, suportes para o papel higiénico, para o papel de enxaguar as mãos e para o sabonete líquido.

Madalena, que frequenta o 7º ano, refere que ganhar o passatempo "foi bom, o que quer dizer que as casas de banho estavam em mau estado". O professor e subdiretor da Escola Básica Navegador Rodrigues Soromenho, Carlos Zacarias, justifica a degradação destes espaços: "Numa escola com esta antiguidade, com esta utilização toda, era um problema que se arrastava."

Mais conforto é sinónimo de melhor utilização

A escola vencedora não é caso único de condições e recursos insuficientes nos WC escolares. O início do projeto "Domestos nas Escolas" foi o estudo "Escolas Públicas – Condições de Saneamento e Conservação". Os resultados desta análise estavam espelhados nesta escola de Sesimbra. Falta de papel higiénico, produtos de limpeza para as mãos, forma de as secar. O estudo realizado pela marca Domestos trouxe à opinião pública um número que pôs a comunidade escolar a refletir: 60% dos alunos inquiridos evitam usar os WC nas escolas. A segurança e a saúde foram também aspetos incontornáveis nestes resultados.

Sandra Andrade, auxiliar de educação na Escola, afirma que as casas de banho "estavam muito deterioradas, não havia condições". Sandra está bastante satisfeita com as alterações realizadas e completa que "as crianças mereciam ter casas de banho melhores".

Os cuidados de higiene numa casa de banho são, ou devem ser, automáticos: utilizar sempre papel higiénico, deixar a sanita e o chão limpos, lavar e secar as mãos. Nem sempre, na correria de um dia de escola, isto é possível. Para que as boas práticas não sejam esquecidas, além dos novos materiais e da requalificação dos WC, a marca Domestos deixou também vários stickers com chamadas de atenção. Afinal, de nada vale uma boa intervenção se, depois, os alunos não cuidarem dos espaços.

A intervenção no espaço da Escola não termina aqui, pelo contrário. Agora, o testemunho é passado aos professores, funcionários, encarregados de educação e, sobretudo, aos alunos. É altura de educar para a cidadania, de cuidar do que conquistaram. Carlos Zacarias defende que "a Escola terá de ter também algum trabalho nesse nível, de sensibilização" por parte da comunidade, mas abona que vão "conseguir que se mantenha".

Já Catarina Saraiva, um dos membros da associação de pais responsável pela inscrição, acha que se deve "tentar acompanhar diariamente" o estado dos WC "para não deixar estragar nem chegar ao ponto em que estavam". Lina Marçalo espera que os alunos "percebam a mensagem" e que deixem as casas de banho "como as encontraram" para manter o resultado.

Para que nada falta à comunidade escolar desta escola em Sesimbra, a Domestos ofereceu um cabaz de produtos de limpeza, que inclui produtos específicos para cada zona dos WC. O resultado já é visível, e Catarina Saraiva salienta: "Está limpo. É a primeira sensação que se tem. E está bonito."

Uma colaboração muito especial

A melhoria de condições dos WC intervencionados, com a reparação de autoclismos, janelas, azulejos e trincos de portas, e com os suportes para materiais, é inequívoca. Para terminar esta intervenção, a Domestos convidou o artista Vasco Costa a pintar um mural em cada um dos espaços.

O artista visitou a zona de Sesimbra, a Escola e conversou com professores em busca de inspiração. O desafio foi bem aceite pelo artista, até porque acredita que o seu trabalho acaba por "tornar estes locais mais apelativos e mais sensíveis às crianças através da cor". Nos murais em azulejo que pintou, escolheu "vários elementos relacionados com o mar", símbolo da região. 

A grande revelação a toda a comunidade fez-se agora, no início do novo ano letivo. Alguns alunos envolvidos num projeto internacional, e que por isso estavam na escola ainda antes de as aulas começarem, tiveram a oportunidade de ver, em primeira mão, o resultado. A satisfação não podia ser maior. João, que frequenta o 9º ano, diz que "a pintura está mesmo bonita". Madalena acrescenta que "ficou com mais vida", e Beatriz vaticina: "Assim vamos passar a vida na casa de banho."

O professor Carlos Zacarias defende que "o aspeto visual é muito importante para os jovens, a cor, o ter tudo aquilo que precisam". O projeto "Domestos nas Escolas" veio, por isso, trazer tudo aquilo que os alunos necessitavam aos dois WC intervencionados, dando-lhes assim uma nova vida. Lina Marçalo fecha com chave de ouro: "A escola é um prolongamento da nossa casa, e eles terem boas condições na escola, para nós, para mim enquanto mãe, é fundamental." Para a Domestos, também.