Barra Cofina

Correio da Manhã

Especiais C-Studio
2
Especiais C-Studio
i
C- Studio é a marca que representa a área de Conteúdos Patrocinados do Universo
É o local onde as marcas podem contar as suas histórias e experiências.

O que o conflito na Ucrânia implica na transição climática

É preciso um esforço coletivo para combater as alterações climáticas
9 de Maio de 2022 às 11:33


Artigo de opinião de Lídia Pereira, eurodeputada.

Facebook
Twitter
Instagram


As alterações climáticas são, um desafio de enorme escala e que implica um esforço coletivo de várias gerações - em particular para conseguirmos manter o aquecimento abaixo de 2 graus, como se pretende.

De resto, as alterações climáticas e a biodiversidade estão entre os maiores desafios da humanidade e para o qual todos os governos, em todo o mundo, devem contribuir sem demora.

A cooperação internacional é a chave para travarmos o aquecimento global, e não podemos ignorar as consequências que o conflito na Ucrânia tem na dimensão diplomática e nas probabilidades de sucesso da próxima Conferência das Nações Unidas sobre as Alterações Climáticas.


"A cooperação internacional é a chave para travarmos o aquecimento global"




O conflito armado na Ucrânia tem provocado alterações no caminho para a neutralidade climática:
  • • Clarificando a importância e urgência da autonomia energética e da importância de acelerar a utilização em larga escala de energias renováveis como principais atores dessa autonomia;
  • • Obrigando à utilização de carvão como alternativa ao gás natural russo;
  • • Estendendo o período de funcionamento (em segurança) de centrais nucleares cujo fim estava previsto a breve prazo;
  • • Aumentando a exploração de gás natural noutras geografias, para evitar a compra de combustíveis fósseis russos.


Não temos alternativa senão acelerar a transição climática, melhorando a nossa eficiência energética e libertando-nos da compra do gás russo - proveniente de um regime com um líder que não se importa nem com o clima, nem com as pessoas.


Apoios à transição energética

Sabia que através do Fundo Ambiental pode receber incentivos para a aquisição de veículos ligeiros de passageiros 100% elétricos ou bicicletas 100% elétricas?

Apoiado por fundos europeus, o Fundo Ambiental prevê a concessão de 1300 incentivos no valor de 4.000 € a pessoas singulares que tenham adquirido um veículo 100% elétrico até 62.500 €. No caso das bicicletas, prevê-se a possibilidade de atribuição de 50% do valor de aquisição, IVA incluído, a pessoas singulares e coletivas.

Até ao dia 30 de novembro poderá submeter a sua candidatura em: fundoambiental.pt


Novas tecnologias na fiscalidade

Lídia Pereira apresentou o relatório sobre o impacto de novas tecnologias na fiscalidade: situação dos cripto ativos e exploração da tecnologia blockchain. A inovação nesta área está a mudar os mercados e a Europa tem de liderar na promoção de novas tecnologias financeiras. A relatora do PSD apontou três prioridades: conpetitividade fiscal inteligente e justa sobre os cripto ativos, modernização dos sistemas fiscais e combate à fraude e evasão fiscais com novas tecnologias.


Lídia Pereira designada relatora para a COP27

Lídia Pereira foi designada relatora do PPE para a próxima Conferência das Nações Unidas sobre as Alterações Climáticas, agendada para novembro no Egito.

O encontro, que reúne líderes governamentais de todo o mundo, cientistas, empresários e organizações não governamentais, acontecerá num momento em que, segundo a eurodeputada, “a invasão da Ucrânia veio impulsionar a transição energética na União Europeia e isso contribuirá para acelerar a descarbonização da nossa economia”.

Carta da Europa