Barra Cofina

Correio da Manhã

Especiais C-Studio
6
Especiais C-Studio
i
C- Studio é a marca que representa a área de Conteúdos Patrocinados do Universo
É o local onde as marcas podem contar as suas histórias e experiências.

Santa Casa distingue ciência que apoia a vida

A Santa Casa da Misericórdia de Lisboa lançou esta semana a primeira edição dos Prémios Santa Casa Longevidade. A iniciativa, de caráter bianual, vai galardoar os três melhores projetos de investigação científica na área.
14 de Novembro de 2019 às 13:12
As áreas galardoadas assentam nos três eixos estratégicos definidos pelo Programa ‘Lisboa, Cidade de Todas as Idades’, ou seja: Vida Ativa, Vida Autónoma e Vida Apoiada – de modo a estimular novas práticas e procedimentos que visem a melhoria contínua da intervenção da Santa Casa.
Esta é a primeira vez que se desenvolvem prémios de incentivo à investigação científica, doutoralepós-doutoral, dedicada exclusivamente à temática da longevidade.

Neste sentido, privilegiam-se projetos de natureza interdisciplinar e multidisciplinarque aproximem diferentes atores, fomentem sinergias, ampliem redes de conhecimento e incentivem parcerias entre instituições. Aos três premiados serão atribuídos 100 mil euros, no montante global de 300 mil euros.
A iniciativa vem ao encontro do desafio de manter sempre atual uma instituição com mais de cinco séculos de existência, que tem como missão a melhoria do bem-estar da população e que tem estado, de forma pioneira, na vanguarda da procura de condições, metodologias e serviços inovadores e originais para a promoção da autonomia, da autodeterminação e da participação das pessoas apoiadas.
Isso mesmo explica Maria da Luz Cabral, coordenadora da Unidade Missão Santa Casa. "Não raras vezes a academia procura a Santa Casa, porque esta constitui-se como um laboratório para uma série de situações à qual a teoria vem dar resposta mais tarde. Tendo nós esta experiência, cabe-nos convocar a academia para um diálogo entre a teoria e a prática, para que o trabalho vá cada vez mais ao encontro deste grupo populacional e ao encontro da realidade do aumento da longevidade".

Portanto,com a atribuição destes prémios, a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa visa sustentar e adequar as opções estratégicas e de futuro, desenvolvendo e acompanhando projetos de superioridade e prestígio, pretendendo obter impacto a nível institucional e, eventualmente, a nível nacional ou internacional, particularmente"em termos de produção científica praxiologicamente útil", disse a mesma fonte.
Este contributo, porém, pode advir de várias áreas de estudo: "Não vamos fechar-nos nas áreas das ciências sociais ou da ação social porque hoje em dia a tecnologia está em tudo. A arquitetura, a engenharia, a robótica podem permitir repensar o futuro numa perspetiva mais flexível da cidade de Lisboa, criando condições que ofereçam mais autonomia às pessoas, por exemplo", frisou Maria da Luz Cabral.
O objetivo passa ainda por conquistar valor para as pessoas e para a comunidade, valorizando o envolvimento dos cidadãos nas questões que lhes dizem respeito. 

 
Como pode candidatar-se aos prémios
Com a atribuição dos Prémios Longevidade, a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa visa sustentar e adequar as opções estratégicas e de futuro, acrescentando saberes, qualidade e inovação às suas áreas de intervenção, assim como tornar mais robusto e pertinente o Programa Lisboa, Cidade de Todas as Idades, facilitando o compromisso de apoiar a investigação e o desenvolvimento científicos.
Tendo em conta o caráter multidisciplinar desta iniciativa, todas as áreas de conhecimento estão convidadas a participar na construção de um futuro melhor para todos.
Os projetos candidatos devem valorizar as áreas de intervenção dos eixos estratégicos do Programa Lisboa, Cidade de Todas as Idades através da transferência de conhecimento e da aplicação dos resultados previstos no plano de projeto e na candidatura.

Assim, as candidaturas deverão focar-se numa das seguintes tipologias de investigação: investigação aplicada; investigação de translação; investigação-ação; e, ainda, investigação clínica ou outra metodologia que permita a aplicação dos seus resultados de investigação previstos, com evidência do impacto na intervenção proposta.

As candidaturas para os Prémios Santa Casa Longevidade estendem-se até ao próximo dia 11 de dezembro. Saiba como pode concorrer na caixa de texto vermelha, em baixo, com o título ‘Candidaturas e Informação’. Para informações mais detalhadas é possível consultar o regulamento do prémio em www.scml.pt.

Uma estratégia concertada para melhorar em três frentes
 
Atendendo aos novos e exigentes desafios da sociedade, a SCML tem promovido e apoiado, de forma crescente, a investigação científica em diversas áreas. Numa sociedade que se pretende mais humana, solidária e interveniente, torna-se importante repensar os desafios sociais e propor ações inovadoras, que permitam implementar respostas integradas. É com base nestes princípios de funcionamento, gestão e articulação externa e interna que surge o Programa Lisboa, Cidade de Todas as Idades, que se operacionaliza num conjunto de medidas organizadas em três eixos estratégicos: Vida Ativa (condições de promoção de vida ativa para a população com mais de 65);­Vida Autónoma (melhoria das condições físicas do espaço público e do edificado, assim como a requalificação, inovação e diversificação da rede de equipamentos e de serviços que promo- vam a autonomia das pessoas com mais de 65 anos) e Vida Apoiada (melhoria e ampliação da rede de equipamentos sociais e de saúde, assim como da prestação de cuidados para as situações de dependência).

"Somos um país para novos e um país para velhos" 
A ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho, sublinhou a importância do tema da Longevidade para Portugal.
"A demografia não é um tema de hoje. É um tema de hoje, é um tema de ontem e é um tema de amanhã. É um tema central para o nosso desenvolvimento e afirmação enquanto país" referiu.
Não deixando de frisar o papel "essencial" que a Misericórdia de Lisboa pode ter para ajudar o País a "inovar do ponto de vista da resposta social e a fazer com que tenhamos uma ação cada vez mais integrativa e participativa de todos", a ministra da tutela deixou ainda um apelo: "Este prémio da longevidade quer dizer também que temos de ir mais longe" até porque, como referiu a governante, "somos um país para todos. Somos um país para novos e um país para velhos. É isso que nos tem de orgulhar, e é por isso que devemos lutar em conjunto."

Candidaturas e informação